Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Sementes chegaram em uma encomenda vinda da China na casa de uma moradora de Curitiba, sem terem sido solicitadas
Sementes chegaram em uma encomenda vinda da China na casa de uma moradora de Curitiba, sem terem sido solicitadas| Foto: Colaboração

Após novos casos em Curitiba de encomendas não solicitadas com sementes misteriosas vindas da China, a Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar), da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento, emitiu um alerta orientando as pessoas a não abrir as embalagens, não jogar o conteúdo no lixo e muito menos plantar os vegetais. O temor é de que se trate de uma espécie de "bioterrorismo", com intuito de espalhar pragas e prejudicar a agricultura e o meio ambiente do país.

As principais notícias do Paraná no seu WhatsApp

Os casos inusitados chamaram atenção do governo de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul e também de outros países como Estados Unidos, Canadá e Portugal. O Departamento de Agricultura dos EUA abriu uma investigação para apurar as encomendas misteriosas que chegaram para milhares de americanos sem terem sido compradas.

Após reportagem na última terça-feira (16) informando que uma enfermeira, moradora de Curitiba, recebeu um embrulho da China com conteúdo duvidoso, outros casos apareceram na capital. As sementes foram coletadas e enviadas pela Adapar ao Ministério da Agricultura para análise.

De acordo com o gerente de Sanidade Vegetal da Adapar, Renato Rezende Young Blood, a possibilidade dessas encomendas causarem prejuízos econômicos e danos do ponto de vista da defesa sanitária vegetal são enormes. “O pacote suspeito da moradora chegou hoje no nosso laboratório. São sementes mesmo, parecidas com olerícolas [hortaliças]. Agora o material vai para o laboratório do Ministério da Agricultura”, explica o gerente da Adapar. O resultado da análise pode demorar cerca de 15 dias.

Enquanto ainda não se sabe quais são essas sementes e se oferecem algum risco para a agricultura e meio ambiente, as autoridades reforçam o pedido para a população não manusear encomendas em que não se sabe a procedência. No Paraná, quem receber uma encomenda suspeita da China deve entrar em contato uma unidade regional de sanidade agropecuária mais próxima. Em Curitiba, o telefone da unidade é (41) 3313-4109.

Segundo a legislação brasileira, a importação ou exportação de mudas e sementes deve ser autorizada pelo Ministério da Agricultura. Qualquer material vegetal oriundo de outros países, seja muda ou semente, deve passar por fiscalização federal. Essas encomendas podem trazer contaminações junto com as sementes, causando a introdução de novas pragas para a agricultura brasileira.

23 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]