i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Aposentadoria

Fundo de pensão de Curitiba ainda não foi aprovado, mas Greca já quer “sócios”

Prefeito de Curitiba tenta convencer gestores de cidades da RMC a participar do sistema de previdência municipal

  • PorJoão Frey
  • 15/05/2017 10:09
Greca em reunião com os prefeitos da RMC: proposta de criação de um fundo de Pensão Metropolitano. | Cesar Brustolin/SMCS
Greca em reunião com os prefeitos da RMC: proposta de criação de um fundo de Pensão Metropolitano.| Foto: Cesar Brustolin/SMCS

Se depender da vontade do prefeito Rafael Greca (PMN), o fundo de pensão que a prefeitura está tentando criar dentro do pacote de ajuste fiscal não ficará restrito aos servidores municipais de Curitiba. Em uma reunião da Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Curitiba, realizada no fim da semana passada, Greca convidou os prefeitos dos municípios da Região Metropolitana a aderirem ao fundo.

“Todas as cidades que quiserem aderir estão convidadas. Poderíamos formar um Fundo de Pensão Metropolitano de Previdência”, sugeriu Greca, depois de afirmar que, hoje, 20% do orçamento anual da prefeitura é direcionado ao custeio da previdência dos servidores públicos.

“Caso uma medida não seja adotada agora, em cinco anos esse percentual deve atingir 30%”, afirmou.

Depois do convite de Greca, os prefeitos da RMC assistiram a uma apresentação do presidente do Instituto Previdência dos Servidores Municipais de Curitiba (IPMC), José Luiz Costa Taborda Rauen, idealizador no novo fundo de pensão, batizado de CuritibaPrev.

Rauen já havia falado sobre a ideia de abrir o fundo para outros municípios em uma reunião na Câmara de Curitiba.

“Nós vamos fazer gestão de um plano de benefícios para os servidores de Curitiba, mas nós poderemos fazer gestão de um plano de benefícios para os servidores da Região Metropolitana. Totalmente segregado, sem nenhum risco de contaminação e ganhando em escala em duas pontas. Primeira ponta: poder de barganha quando eu vou investir; segunda ponta, o custeio administrativo. Quanto mais gente estiver participando, melhor, porque praticamente com a mesma estrutura eu posso administrar mais participantes e mais dinheiro neste bolo”, explicou aos vereadores.

O prefeito do município de Fazenda Rio Grande, Márcio Wozniack, que preside a Assomec, afirmou que proposta de Greca será apoiada e colocada em discussão pela Associação.

“Achei a proposta inovadora, talvez seja a solução para salvar os fundos que estão em déficit. Mas, claro, isso depende da avaliação cada município. A previdência do meu município, por exemplo, é superavitária, mas a solução pode ajudar muito os municípios mais antigos, com mais servidores aposentados.”

Prefeituras em crise

O tema central da reunião de quinta-feira (11) foi a crise financeira dos municípios. Além do comprometimento da receita com o custeio da previdência dos servidores públicos, os gestores também se queixaram do fato de as obrigações municipais serem crescentes, enquanto os repasses federais diminuem.

“Os municípios sofrem isoladamente, mas compartilham problemas nas áreas de transporte, saúde, entre outros, e precisamos discutir os problemas em conjunto”, afirmou o secretário de Governo de Araucária, Genildo Carvalho.

Segundo o presidente da Assomec, os municípios estão redigindo uma carta explicando suas dificuldades financeiras e anunciando medidas conjuntas. Entre os pontos do documento – que deve ser divulgado nesta segunda-feira (15) -, está a dificuldade que os municípios da RMC estão enfrentando para conceder reajuste salarial ao funcionalismo.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.