i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
no stf

PGR oferece duas denúncias contra deputado do Paraná. E quer abrir mais um inquérito

Raquel Dodge também pediu o bloqueio de bens no valor de R$ 341 milhões de Alfredo Kaefer para assegurar o ressarcimento dos danos

  • PorDa Redação, com informações de Catarina Scortecci
  • 01/02/2018 11:32
 | Edilson Rodrigues    /    Agência Senado
| Foto: Edilson Rodrigues /    Agência Senado

A Procuradoria-Geral da República (PGR) enviou ao Supremo Tribunal Federal (STF), na quarta-feira (31), duas denúncias contra o deputado federal pelo Paraná Alfredo Kaefer (PSL). Ele é acusado de “praticar crimes com o objetivo de obter vantagens ilícitas e beneficiar suas empresas, causando prejuízo a credores públicos e privados”, resume a PGR. 

Kaefer está no terceiro mandato.Albari Rosa/Gazeta do Povo

Para garantir o ressarcimento dos danos, a PGR ainda pediu o bloqueio e a indisponibilidade de bens, direitos e valores do parlamentar e de 14 empresas pertencentes a ele, até o limite de R$ 341 milhões.

Entre as acusações feitas a Kaefer estão a sonegação e omissão de informações durante o processo de recuperação judicial de cinco empresas, além de falsidade ideológica e fraude a credores. No caso da omissão de informações, a medida teria induzido as autoridades do Judiciário a erro.

“Ao longo dos anos, valendo-se de ampla estrutura empresarial, Alfredo Kaefer fez diversos atos de confusão patrimonial, de blindagem de seu patrimônio pessoal e de concentração de dívidas em empresas, com a capitalização de outras não englobadas no Processo de Recuperação Judicial”, aponta trecho da denúncia.

LEIA MAISEm guerra judicial, deputado e família retomam comando de grupo empresarial

Segunda denúncia 

A segunda denúncia atinge, além do deputado federal, a sua companheira, Clarice Roman. Nesse caso, a acusação fala da emissão de duplicatas falsas e da obtenção de vantagens ilícitas, que provocaram prejuízo a algumas empresas. Os danos causados pelo parlamentar e sua companheira totalizam R$ 249,5 mil. 

Trata-se da emissão de duplicatas em nome da empresa Diplomata S/A Industrial e Comercial, da qual eram responsáveis de fato. “Os acusados, como gestores e responsáveis pela empresa Diplomata S/A, emitiram os referidos títulos à revelia das empresas sacadas, contraíram dívidas, usando os supostos créditos e, depois, os cancelou”, sustenta a PGR.

LEIA TAMBÉMAssessores de Beto Richa prestam depoimento na PF

Novo inquérito

Além das duas denúncias, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pediu ao STF a abertura de mais um inquérito contra Alfredo Kaefer para apurar indícios de que outras empresas do parlamentar, ainda ativas, teriam sido usadas para a prática de lavagem de dinheiro. 

A PGR sustenta que Kaefer se utilizou do patrimônio dessas pessoas jurídicas para financiar, em 2010 e 2014, suas candidaturas políticas, e que se afastou apenas formalmente de parte dos negócios, utilizando testas de ferro.

Outro lado

Em entrevista à Gazeta do Povo, Kaefer classificou a denúncia como “vazia, infundada e requentada” e fez críticas à atuação da PGR. “Eu nunca fui ouvido pela PGR. Primeiro, eles atiram, depois eles vão ouvir minhas explicações? Se o STF acatar as denúncias, eu vou provar letra por letra que sou inocente. É tudo uma ilação de quem acusa. Faz tempo que o Ministério Público está no meu pé”, afirmou ele.

Questionado sobre o impacto das denúncias junto ao eleitorado, Kaefer respondeu que “foram três mandatos exercidos com dignidade” e “meus eleitores sabem reconhecer o meu trabalho no Congresso Nacional”. “Estou absolutamente tranquilo”, completou o parlamentar. 

Aos 62 anos e com sua principal base eleitoral na cidade de Cascavel, Kaefer já confirmou a intenção de disputar a reeleição em outubro próximo.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.