i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Nos Estados Unidos

CPI da JBS quer acionar FBI para investigar Joesley

Comissão deverá aprovar pedido de acordo de cooperação de autoridades brasileiras com o Federal Bureau Investigation (FBI) e também com o Federal Reserv System (FED)

    • BRASÍLIA
    • Evandro Éboli 
    • 20/09/2017 10:23
     | EVARISTO SA    /    AFP
    | Foto: EVARISTO SA / AFP

    A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da JBS pretende investigar os negócios do grupo J&F nos Estados Unidos e que envolveram dinheiro do BNDES. A comissão deverá aprovar um pedido de acordo de cooperação de autoridades brasileiras com o Federal Bureau Investigation (FBI) e também com o Federal Reserv System (FED), o equivalente ao Banco Central norte-americano. O objetivo é investigar aquisições feitas pela JBS naquele país.

    LEIA MAIS: Todas as notícias de política nacional

    A cooperação é uma solicitação do deputado Fernando Francischini (SD-PR), que é o sub-relator na CPI para avaliar contratos das empresas dos irmãos Batista. Essa iniciativa saiu depois de uma conversa do parlamentar com integrantes da Polícia Federal. Francischini explica no seu pedido que a JBS foi beneficiada pela chamada "política de campeões" do BNDES e que tinha o objetivo de financiar a internacionalização de grupos brasileiros.

    Entre os negócios citados está a compra pela JBS, com crédito do BNDES, da empresa norte-americana Swift, em 2007, por US$ 1,4 bilhão. 

    "Além de financiar o grupo, o BNDES comprou uma participação na JBS por meio da BDNESpar. Hoje, o BNDES é dono de 21% da JBS" - explica Francischini no seu pedido. 

    Com a compra da Swift, a JBS se tornou a maior emrpesa do mundo de alimentos de origem bovina. 

    A partir daí, a empresa inicia uma "vertiginosa expansão internacional", que incluiria ainda, segundo o deputado, a aquisião da Pilgrim´s Pride, uma empresa de frango também norte-americana. Ele cita ainda a compra dos frigoríficos brasileiros Bertin e Seara. 

    "Passando a ser também a maior produtora mundial de carne de aves". 

    Para o parlamentar, a cooperação com o FBI e o FED é fundamental para esclarecer esses fatos. 

    "É de suma importância a cooperação das autoridades americanas no sentido de elucidar estas operações e dirimir quaisquer dúvidas sobre possíveis ilícitos realizados com dinheiro do BNDES nestas operações" - conclui o sub-relator da CPI da JBS.

    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.