Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
 | Evandro Éboli/Gazeta do Povo
| Foto: Evandro Éboli/Gazeta do Povo

Um grupo de dez pessoas, que integram o “Movimento Patriótico”, levou para a frente do Congresso Nacional, na manhã desta quinta-feira, uma faixa de 10 metros de altura com uma foto do general Hamilton Mourão, do Comando do Exército, que gerou polêmica ao defender a intervenção militar se a Justiça não resolver o problema político do país. Ainda traz uma inscrição: “Obrigado militares por nos salvar. Obrigado general Mourão”.

Além da faixa, os manifestantes usavam camisa a favor da intervenção militar e um deles estava até vestido a caráter, com um uniforme militar. Um dos líderes do movimento, Dom Werneck, disse, num discurso com megafone, que Mourão, ao defender a intervenção, expressou o sentimento do cidadão brasileiro. Eles atacaram os congressistas e defenderam a prisão imediata dos envolvidos em escândalos. E defenderam também a saída de Temer.

“O patriota general Mourão resolveu despertar uma nação. O Exército está atento. É isso que ele quis dizer”, afirmou Werneck.

“Bolsonaro não nos representa”

O líder do movimento afirmou que a referência no Congresso Nacional para eles não é o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ), o presidenciável que tem apoio de parte dos militares. O parlamentar da predileção do Movimento Patriótico é o Cabo Daciolo (Avante-RJ), que, na semana passada, defendeu o fechamento do Congresso e a intervenção militar.

“Bolsonaro não nos representa. O Cabo Daciolo foi o único que vimos defender nossas ideias”, disse Werneck.

Assista a um trecho do protesto:

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]