141331

Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

PUBLICIDADE
  1. Home
  2. Política
  3. República
  4. Jair Bolsonaro deve ficar na UTI até fim da internação e está com visitas suspensas

depois da cirurgia

Jair Bolsonaro deve ficar na UTI até fim da internação e está com visitas suspensas

Pelas condições humanizadas da estrutura, Bolsonaro deve ficar na UTI até o fim da internação, segundo sua assessoria. Por indicação médica, as visitas ao paciente estão suspensas

  • São Paulo
  • Estadão Conteúdo
  • Atualizado em às
 | HO/AFP
HO/AFP
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

Após passar por uma cirurgia de sete horas para retirada da bolsa de colostomia na segunda-feira (28) o presidente Jair Bolsonaro (PSL) continua na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital Albert Einstein. Pelas condições humanizadas da estrutura, Bolsonaro deve ficar na UTI até o fim da internação, segundo sua assessoria.

De acordo com o boletim médico, divulgado na manhã desta terça-feira (29), Bolsonaro “apresenta boa evolução clínico-cirúrgica”. Ele não apresentou sangramentos ou qualquer outro tipo de complicação e também não tem febre. O presidente está em jejum oral e recebe analgésicos para o controle da dor. Também há hidratação endovenosa e medidas de prevenção de trombose.

LEIA MAIS:“Se Deus quiser, correrá tudo muito bem”, diz Bolsonaro sobre cirurgia

Sobre a reintrodução da alimentação por via oral, os médicos esclarecem que isso será avaliado diariamente e “ocorrerá de forma paulatina e no momento oportuno”. Por indicação médica, as visitas ao paciente estão suspensas.

A indicação médica é que Bolsonaro permaneça em repouso maior até esta quarta-feira (30) quando está prevista a vinda de outros ministros para a capital paulista. Por enquanto, o único que acompanha o presidente no hospital é o chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Augusto Heleno.

‘Estou bem’, diz Bolsonaro no Twitter

Bolsonaro recorreu ao Twitter para comentar sobre seu estado de saúde. O presidente rememorou o atentado sofrido em Juiz de Fora (MG) durante a campanha presidencial, que lhe obrigou a usar a bolsa de colostomia retirada na cirurgia.

“Foram tempos difíceis, consequência de uma tentativa de assassinato que visava destruir não só a mim, mas a esperança de muitos brasileiros num futuro melhor. Agradeço a Deus por estar vivo, aos profissionais que cuidaram de mim até aqui e a todos vocês pelas orações! Estou bem”, escreveu o presidente.

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE