Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Além do fim da análise de uso emergencial, a Anvisa também determinou a suspensão dos estudos clínicos com a Covaxin no país.
Além do fim da análise de uso emergencial, a Anvisa também determinou a suspensão dos estudos clínicos com a Covaxin no país.| Foto: Divulgação / Bharat Biotech

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) decidiu encerrar o processo que tratava da autorização temporária de uso emergencial da vacina Covaxin, desenvolvida pelo laboratório indiano Bharat Biotech Limited International. O anúncio foi feito na noite deste sábado (24).

Na sexta-feira (23), a Anvisa havia sido comunicada pelo laboratório indiano que a empresa brasileira Precisa Comercialização de Medicamentos Ltda. não possuía mais a autorização para representá-la no país. A decisão da farmacêutica embasou a suspensão de forma cautelar, pela agência brasileira, dos estudos clínicos com o imunizante no território nacional e, agora, a avaliação do uso emergencial.

De acordo com Meiruze Freitas, diretora e relatora do processo na Anvisa, "o rompimento da relação comercial entre as empresas, bem como a decadência de requisito fundamental para a Autorização de Uso Emergencial, implica impedimento da manutenção e continuidade da avaliação do pedido. A negativa está ancorada ao princípio da eficiência, uma vez que seguir com uma avaliação técnica de uma petição já administrativamente corrompida implicaria em significativo desperdício de esforços e recursos da administração". 

O pedido de autorização temporária de uso emergencial do imunizante havia sido protocolado pela Precisa no dia 29 de junho. A empresa é alvo da CPI da Covid no Senado.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]