# Trocas nas Forças Armadas refletem as desavenças entre Bolsonaro e o ex-ministro da Defesa; em nota de despedida, o general Azevedo e Silva disse que, no período em que exerceu o cargo, preservou as "Forças Armadas como instituições de Estado"

***) Muita gente esperava que a principal notícia do início da semana no governo Bolsonaro seria a queda do ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo. Mas aconteceu muito mais.

Foram ao todo seis mudanças, em uma reforma ministerial que pegou todo mundo de surpresa. Entre elas, a mais surpreendente foi a troca do ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva. Ele estava no cargo desde o início do governo.

Com ele, saíram, de uma vez só, os comandantes do Exército, da Aeronáutica e da Marinha. Um movimento inédito.

Bolsonaro queria mais manifestações de apoio das Forças Armadas

O ex-ministro Azevedo foi demitido pelo presidente da República. Ao que tudo indica, o desgaste entre os dois vinha crescendo há algum tempo. Bolsonaro pediu, nos bastidores, manifestações de Azevedo em apoio a posições do governo, o que caracterizariam o envolvimento direto das Forças Armadas com a política de governo.

O general Azevedo e Silva sempre procurou adotar uma postura de neutralidade dos militares em relação à gestão Bolsonaro. Não à toa, em sua nota de despedida da pasta, disse que, no período em que exerceu o cargo, preservou as "Forças Armadas como instituições de Estado".

Este episódio do podcast 15 Minutos recebe o Rodolfo Costa, repórter da Gazeta do Povo em Brasília. Ele acompanha de perto todas as movimentações.

***
O podcast 15 minutos é um espaço para discussão de assuntos importantes, sempre com análise e a participação da equipe de jornalistas da Gazeta do Povo. De segunda a sexta, de forma leve e dinâmica, com a duração que cabe na correria do seu dia. Apresentação é do jornalista Márcio Miranda. O programa é publicado no Spotify, Google Podcast, Deezer e no iTunes.

***
Ficha técnica: ‘15 minutos’, podcast de notícias da Gazeta do Povo #Apresentação e roteiro: Márcio Miranda; direção de conteúdo: Rodrigo Fernandes; equipe de produção: Maria Eduarda Scroccaro, Jenifer Ribeiro e Durval Ramos; montagem: Leonardo Bechtloff; identidade visual: Gabriela Salazar; estratégia de distribuição: Gladson Angeli e Marcus Ayres.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]