• 04/03/2020 15:42
Paralisação

Para governador do Ceará, motim teve mais motivação política do que salarial

  • 04/03/2020 15:42
  • PorGazeta do Povo
    Policiais do Ceará, encapuzados e sem farda, protestaram por melhores salários.
    Policiais do Ceará, encapuzados e sem farda, protestaram por melhores salários.| Foto: João Dijorge/Photopress/Estadão Conteúdo

    O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), comentou sobre o motim dos policiais militares que durou 13 dias. “Há um fundo muito mais político nessa história do que salarial, que é a partidarização da polícia”, disse, em entrevista à Folha. O governador ainda citou “chantagem” por parte dos PMs. “A polícia jamais pode deixar a população e o governador reféns. A Constituição deu a ele o direito de ter uma arma na mão, mas não para chantagear os governos e ameaçar as pessoas”, disse, ao afirmar que é contra a anistia. Na terça, a Assembleia Legislativa do Ceará aprovou uma PEC que proíbe anistia a PMs amotinados.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.