i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Esquema no Sistema S

Lava Jato do Rio denuncia ex-advogado da família Bolsonaro por peculato e lavagem

    • Gazeta do Povo
    • 25/09/2020 14:26
    • Atualizado em 25/09/2020 às 18:19
    Frederick Wassef, ex-advogado de Jair Bolsonaro e Flávio Bolsonaro
    Frederick Wassef, ex-advogado de Jair Bolsonaro e Flávio Bolsonaro.| Foto: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo

    A força-tarefa da Lava Jato do Rio de Janeiro denunciou à Justiça Frederick Wassef, ex-advogado do presidente Jair Bolsonaro e do senador Flávio Bolsonaro. Ele é acusado de peculato (apropriação de bens públicos) e lavagem de dinheiro no suposto esquema de corrupção envolvendo o Sistema S do Rio. As informações são do portal de notícias G1.

    Também foram denunciados nesta sexta-feira (25) outros acusados: o empresário e delator Orlando Diniz (que comandou o Sistema S fluminense e teria sido o chefe do esquema); o empresário Marcelo Cazzo (suposto responsável por levar Wassef para o esquema e ex-chefe da publicidade do Sistema S); e as advogadas Marcia Carina Castelo Branco Zampiron e Luiza Nagib Eluf. Se a Justiça acabar a denúncia, todos viram réus.

    As denúncias são resultado da Operação E$quema S, deflagrada em 9 de setembro para investigar um suposto esquema de corrupção envolvendo escritórios de advocacia e o Sistema S do Rio – que é composto pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Rio (Fecomércio-RJ), Sesc e Senac.

    A força-tarefa da Lava Jato no Ministério Público Federal (MPF) do Rio argumenta que, entre 2012 e 2018, o Sesc, o Senac e a Fecomércio teriam destinado mais da metade de seu orçamento anual a contratos com escritórios de advocacia. Mas esses serviços não teriam sido prestados. Os desvios e mau uso dos recursos chegariam a um montante de R$ 351 milhões.

    O advogado Frederick Wassef é investigado por supostamente ter recebido R$ 4,47 milhões por meio do escritório da ex-procuradora Luiza Nagib Eluf, contratada pela Fecomércio. Segundo portal de notícias G1, Wassef teria sido contratado por Orlando Diniz para fazer investigações internas e tentar conter vazamentos de informações do Sistema S. A preocupação de Diniz seria para se manter na direção das entidades – que recebem recursos públicos para se manter.

    Wassef ainda não se pronunciou sobre a denúncia. Mas na época da deflagração da Operação E$quema S, ele negou ter cometido irregularidades.

    Advogado de Lula já é réu no esquema do Sistema S

    A denúncia desta sexta-feira é a segunda feita contra integrantes do suposto esquema no Sistema S. Quando a Operação E$quema S também teve como alvo os advogados Roberto Teixeira, amigo do ex-presidente Lula, e Cristiano Zanin Martins, responsável pela defesa do ex-presidente nos processos da Lava Jato. Os dois, apontados como líderes do esquema, já foram denunciados – e a Justiça acatou a denúncia, tornando-os réus. Na época da denúncia, Zanin e Teixeira negaram as acusações.

    Nesta mesma denúncia do MPF, o advogado Eduardo Martins também se tornou réu. Ele é filho do atual presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Humberto Martins. Segundo a Lava Jato, Eduardo faz parte de outro braço do esquema: o tráfico de influência no STJ e no Tribunal de Contas da União (TCU) para obter decisões favoráveis para entidades do Sistema S.

    Wassef se defende da denúncia: "estão criminalizando a advocacia"

    O advogado Frederick Wassef divulgou a seguinte nota: “Estão criminalizando a advocacia no Brasil. Eu não tenho e nunca tive qualquer relação comercial com a Fecomércio, não fui contratado por eles, não recebi um único centavo desta entidade e jamais negociei com eles.

    Fui contratado e prestei serviços advocatícios a um renomado escritório de advocacia criminal de São Paulo, em que a dona é uma famosa procuradora do Ministério Público de São Paulo, conhecida por ter dedicado toda sua vida e carreira a instituição Ministério Público e o combate ao crime, tratando-se de pessoa pública, íntegra, proba e de idoneidade inquestionável.

    Os serviços advocatícios foram devidamente prestados, os honorários foram declarados à receita federal e os impostos pagos.

    Após dois anos de investigação da Fecomércio, jamais fui intimado ou convocado por qualquer autoridade a prestar qualquer esclarecimento. Desde o início da referida operação “esquema” não fui investigado e ao final não fui denunciado, pois sempre souberam que jamais participei de qualquer esquema.

    Estranhamente após a denúncia de todos os advogados citados na referida operação sofri uma busca e apreensão em que nada foi apreendido por não terem encontrado qualquer irregularidade e mais estranhamente ainda resolveram oferecer uma denúncia relâmpago, isolada, baseada em absolutamente nada contra minha pessoa.

    A denúncia do Ministério Público Federal é inepta e não descreve qualquer conduta praticada por mim ou mesmo qualquer crime, tendo se limitado a narrar simplesmente pagamentos de honorários advocatícios por serviços devidamente prestados, inovando no Brasil, transformando o regular exercício da advocacia em crime, de forma irresponsável e sem medir as consequências de dano de imagem e reputação a minha pessoa.

    Nunca em minha vida respondi a qualquer processo ou fui investigado, sempre tive um nome limpo e sequer em 28 anos de advocacia tive uma única representação em meu desfavor perante a Ordem dos Advogados do Brasil.”

    4 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 4 ]

    Máximo 700 caracteres [0]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

    • O

      orazio martini

      ± 4 dias

       Não podemos confundir advogados com seus clientes: podem ser piores! Advogado SUBcontratado por escritório geralmente é peixe pequeno e nem sempre consegue meter a mão no $$$ - recebendo só honorários contratados. Usualmente escritório contratante fica com $$$ de ilícitos supostos. Como honorários são de livre contratação é muito difícil transformá-los em crimes de per si, mesmo que acima da média inflacionada do setor!

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

      • Máximo 700 caracteres [0]

    • A

      AMAURI

      ± 4 dias

      Bozo é inocente, assim como esse Wassef, Queiroz e outros do mesmo naipe. É de azedar o . . . do frango.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

      • Máximo 700 caracteres [0]

    • P

      PARREIRAS RODRIGUES

      ± 4 dias

      Esposas e filhos citados como compradores de imóveis com dinheiro vivo. As importâncias implicam em suspeita de sonegação. Lucros com raspadinhas lavados em loja de chocolates. Advogado da famiglia, , agora ex, se obrigando a constituir defesa pois objeto de investigação, de denúncia. Nunca li alguém dimensionar corrupção - alta, leve, baixa, tolerável, medonha - mas que nesse governo, não se pode dizer que, como insistem os bolsoNeristas, ela não campeie.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

      1 Respostas
      • I

        IvoHM

        ± 4 dias

        Pare de mentir, rapaz.

        Denunciar abuso

        A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

        Qual é o problema nesse comentário?

        Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

        Confira os Termos de Uso

      • Máximo 700 caracteres [0]