Mulheres, jovens e mais instruídos rejeitam governo, mostra pesquisa
Mulheres, jovens e mais instruídos rejeitam governo, mostra pesquisa| Foto: Marcos Correa/PR

A fração dos brasileiros que reprova o governo de Jair Bolsonaro é de 48,5%. O percentual é maior do que o do grupo que aprova a gestão, que é de 47,2%. Os dados são de levantamento divulgado neste domingo (31) pelo instituto Paraná Pesquisas.

Como a margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais para mais ou para menos, aprovação e reprovação estão em empate técnico. Os dados mostram, entretanto, uma reversão do cenário identificado pelo instituto em dezembro. Na ocasião, o governo Bolsonaro foi aprovado por 50,2% dos entrevistados e rejeitado por 45,3%.

A "vitória" da aprovação em dezembro foi a única detectada pelo Paraná em três pesquisas de opinião similares feitas ao longo de 2020. Nas duas anteriores, executadas em maio e julho, a aprovação foi de 44,0% e 47,1%, e a reprovação foi, respectivamente, de 51,7% e 48,1%.

O Paraná Pesquisas pediu ainda aos entrevistados que classificassem o governo como ótimo, bom, regular, ruim ou péssimo. E também neste indicador o quadro é menos positivo ao governo Bolsonaro do que em meses anteriores.

As avaliações "ótimo" e "bom" recuaram de 15,3% e 21,8% para 13,3% e 20,0%, na comparação entre o levantamento de dezembro e o de janeiro. "Regular" foi de 24,4% para 25,4%. A resposta "péssimo" recuou de 27,9% para 27,5% - mas "ruim" saltou de 9,4% para 12,1%, a única modificação que ficou fora da margem de erro das pesquisas.

O Paraná fez quatro levantamentos em 2020 com a opinião dos brasileiros sobre o governo, produzidos em maio, julho, outubro e dezembro. Em linhas gerais, as pesquisas indicavam uma rejeição maior ao trabalho de Bolsonaro no primeiro semestre e uma tendência de crescimento da aprovação na parte final do ano. Os primeiros dados de 2021 sugerem uma reversão no panorama.

Mulheres, jovens e mais instruídos têm maior reprovação a governo

O levantamento do Paraná Pesquisas segmentou os entrevistados por sexo, idade, escolaridade, situação de emprego e região de moradia. A aprovação ao trabalho do governo é identificada na maioria dos grupos.

Os segmentos em que a reprovação supera a aprovação para além da margem de erro são o das mulheres, o do eleitorado de 16 a 24 anos, do grupo com ensino superior, dos não-pertencentes à População Economicamente Ativa (PEA) e dos moradores da região Nordeste. O maior índice de reprovação é o dos mais jovens, que é de 59,2%.

Na mão oposta, o melhor desempenho do governo Bolsonaro é o identificado entre os homens: 56,0% da população masculina entrevistada aprova o trabalho do presidente da República.

Metodologia

A pesquisa foi feita entre os dias 22 e 26 de janeiro, por meio de ligações telefônicas. O Paraná Pesquisas ouviu 2.002 eleitores, distribuídos por 204 municípios, em todos os estados e no Distrito Federal. A margem de erro é de dois pontos percentuais e o nível de confiança é de 95%.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]