i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Saúde pública

Bolsonaro vai revogar decreto que autorizava participação privada no SUS

  • PorGazeta do Povo
  • 28/10/2020 18:00
Presidente Jair Bolsonaro ficou incomodado com avaliações de que decreto permitiria a privatização do SUS.
Presidente Jair Bolsonaro ficou incomodado com avaliações de que decreto permitiria a privatização do SUS.| Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro decidiu revogar o decreto que autorizava estudos para participação privada no Sistema Único de Saúde (SUS). A decisão ocorre após o Ministério da Economia defender, em nota, a medida. O objetivo inicial era acelerar a conclusão de obras inacabadas em unidades de saúde país afora, mas o presidente ficou incomodado com a repercussão negativa do decreto, publicado no Diário Oficial da União na terça-feira (27), e com a avaliação de que os estudos poderiam resultar em um tipo de "privatização" do SUS.

À CNN Brasil, Bolsonaro disse que a intenção de se fazer estudos para inclusão das unidades de saúde no programa de concessão do governo era permitir que pacientes do SUS pudessem ser atendidos em hospitais particulares nas cidades em que as unidades básicas de saúde não conseguem atender à demanda. Mas, em posto no Facebook, o presidente voltou atrás no decreto, afirmando que no futuro ele pode ser reeditado. A revogação do decreto será publicada nas próximas horas, em edição especial do DOU.

O presidente confirmou a revogação do decreto em postagem no Facebook, mas defendeu a proposta. "Temos atualmente mais de 4.000 Unidades Básicas de Saúde (UBS) e 168 Unidades de Pronto Atendimento (UPA) inacabadas. Faltam recursos financeiros para conclusão das obras, aquisição de equipamentos e contratação de pessoal", destacou. Na publicação, ele se referiu ao caso como a "o SUS e sua falsa privatização".

1 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 1 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • F

    Freitas

    ± 0 minutos

    Bando de amadores. Zona total.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]