Blog / 

Rodrigo Constantino

Um blog de um liberal sem medo de polêmica ou da patrulha da esquerda “politicamente correta”.

Artigos

Esquerda inconformada com morte do sequestrador: doença ou canalhice?

0

A esquerda está inconformada com a “tragédia” desta terça, que terminou, vejam só!, com a morte somente do sequestrador do ônibus, e com os quase 40 reféns saindo ilesos. A “impressão” que fica é que essa turma não engole o sucesso da operação policial. Vejam alguns comentários:

“Quem é Willian Augusto da Silva? Pq resolveu sequestrar um ônibus nesse 20 de agosto? Qual sua história? Que recado queria transmitir? Hoje, o Brasil tem um novo Sandro do Nascimento? Witzel comemora “ação impecável” da polícia. Impecável para a necropolítica!” – Erika Kokay

Sei como deve estar difícil superar a morte de um sequestrador que queria tacar foco em dezenas de inocentes. Se ao menos alguns reféns tivessem morrido em seu lugar! Mas calma: você vai superar isso, Erika. Só não consegue mesmo superar o fato de que Lula ainda está preso, tendo completado 500 dias de confinamento (ainda que de luxo).

“Para o bom entendedor, pingo é i. Um sequestro feito por um sequestrador com arma de brinquedo é providencial demais para um governador questionado e contestado nos últimos dias por causa de uma desastrosa e violenta política ‘de segurança’ nas favelas.” – Jean Wyllys

“Quando um governador pousa comemorando no local de uma tragédia, é um sintoma grave da crise humanitária que vivemos. E foi isso que fez Wilson Witzel. Solidariedade ao povo carioca em mais uma manhã difícil.” – PSOL, página oficial

“O episódio deveria mostrar que a política de Segurança Pública pode e deve ser feita dentro da lei, o que não está ocorrendo nas favelas do Estado. Não há o que comemorar.” – Marcelo Freixo

“Independente do desfecho, celebrar uma morte nunca é o caminho! Especialmente por parte de um agente do poder público que deveria estar preocupado em prevenir esse tipo de episódio trágico.” – Sâmia Bomfim

Algo me diz que, para o PSOL, não seria tanta tragédia assim se o bandido ainda estivesse vivo e uns reféns tivessem morrido. É só uma suspeita… E talvez nesse caso haveria “algo a comemorar”. Vai saber!

Essa gente é doente! Ou então é caso de canalhice mesmo. Talvez um misto de ambos, que não são excludentes. A paixão que esquerdistas radicais sentem por bandidos é um caso patológico ou pura empatia por afinidade “moral”?

Rodrigo Constantino

8 recomendações para você

Sobre / 

Rodrigo Constantino

Economista pela PUC com MBA de Finanças pelo IBMEC, trabalhou por vários anos no mercado financeiro. É autor de vários livros, entre eles o best-seller “Esquerda Caviar” e a coletânea “Contra a maré vermelha”. Contribuiu para veículos como Veja.com, jornal O Globo e Gazeta do Povo. Preside o Conselho Deliberativo do Instituto Liberal.

Loading Facebook Comments ...

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Saiba Mais

Arquivos