i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Rodrigo Constantino

Foto de perfil de Rodrigo Constantino
Ver perfil

Um blog de um liberal sem medo de polêmica ou da patrulha da esquerda “politicamente correta”.

“Fechem o MEC”, propõe Pondé. Eu apoio!

  • PorRodrigo Constantino
  • 03/04/2017 16:32
“Fechem o MEC”, propõe Pondé. Eu apoio!
| Foto:

Toda segunda-feira é a mesma coisa: por uma mistura de ossos do ofício com masoquismo confesso, leio a coluna do Greg na Folha, para depois ter a alma lavada pela coluna de Luiz Felipe Pondé na página seguinte.

Greg tenta convencer seu leitor de que Lula, Dilma e Temer fizeram a mesma coisa, mas que só o “branco da elite” fica impune, por ser branco e da elite. O que comentar?

Mas logo depois de tomar o Engov, vem a verdadeira compensação: Pondé prega o fechamento do MEC em sua coluna de hoje, alegando que burocratas cuidando de nossa educação é o caminho mais garantido para nosso atraso. Ele conclui sem rodeios:

Proponho que fechem o MEC. Não por razões de contabilidade. Coitado, o MEC deve gastar pouca grana. Mas por razões culturais e pedagógicas. Acabar com o MEC nos livraria de todo tipo de burocrata que constrói sua vida e seu orçamento atormentando quem, de fato, se ocupa com a educação, essa arte inexata que deveria ajudar os seres humanos a serem mais humanos e menos bobos.

Sem o MEC acabariam essas reformas intermináveis, esse “centralismo democrático do blá-blá-blá” e esse mercado paralelo de “aferição de qualidade” do tipo Anade, Enade, Inade, Onade, Unade e similares -varia-se a vogal, permanece a aleatoriedade dos critérios. Quem decide é quem estiver no comando burocrático da hora.

A educação deveria estar na mão dos municípios. Melhor ainda: das próprias escolas. A regra é: quanto menos burocrata, melhor qualidade na educação e na vida. Fechem o MEC. Invistam a grana em ferrovias.

Não tenho como discordar. O grau de incompetência, ideologização e politicagem em nosso modelo de ensino público é tão elevado e escancarado que só parece fazer sentido mesmo a completa extinção do MEC. Qualquer outra medida será paliativa e sem o efeito desejado.

Quando a gangrena está em estágio avançado, é preciso amputar o membro para salvar a vida. Quando o câncer está em metástase, só doses cavalares de quimioterapia pode impedir o pior.

O MEC está tomado por vermelhos, e o resultado está aí: o Brasil é a vergonha mundial quando o assunto é educação. Paulo Freire estaria orgulhoso. Seus filhotes continuam dominando o sistema. Por isso mesmo precisamos extirpar o mal pela raiz. Faço coro a Pondé: fechem o MEC!

Rodrigo Constantino

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.