Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado

Prezado leitor, o nome de Dr. Antony Fauci era quase onipresente na mídia meses atrás. Durante toda a pandemia, praticamente só se ouvia falar nele. O burocrata todo-poderoso que comanda o Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas não parava de dar entrevistas, e sua opinião era deliberadamente confundida com a palavra final da ciência. Pois bem: Fauci sumiu!

Duvida? Então responda: qual foi a última vez que ouviu falar dele? Qual a mais recente entrevista divulgada? Quantas menções de seu nome na imprensa nessa última semana? Fauci sumiu, escafedeu-se! Esconderam o homem no mesmo porão em que guardaram Biden durante toda a campanha eleitoral. E o motivo, vale notar, é o mesmo.

Fauci é um embaraço para os democratas. Ele personifica toda a postura arrogante de quem impôs uma histeria e medidas autoritárias draconianas, e que agora começam a ser questionadas com mais liberdade. Estudos mostram que o lockdown não foi eficaz, por exemplo. O uso das máscaras não foi definitivo para conter o vírus. Até a vacina se mostrou menos eficaz e segura do que o prometido.

Após dois anos, o estrago econômico passa a falar mais alto. Os americanos começam a se perguntar se foi mesmo necessário passar pelo calvário imposto por figuras como Fauci. Pagar para todos ficarem em casa sem trabalhar, afinal de contas, não era uma política muito inteligente, e estava fadada a produzir inflação.

O começo da gestão Biden foi um fiasco em todos os sentidos. Na economia, inflação crescente. Na imigração, o caos. Na política externa, a desgraça no Afeganistão. As taxas de aprovação derreteram, e o único tema em que Biden ainda estava acima da marca d'água era a pandemia.

Isso começou a mudar à medida em que mais e mais americanos observam estados livres como a Flórida, cujo governador republicano Ron DeSantis tem bancado postura firme contra as "recomendações" de Fauci. Seus resultados não são piores do que aqueles de estados histéricos e autoritários. Ao contrário! Os cidadãos não são cegos, e querem respostas de quem impôs um fardo tão grande - e pelo visto desnecessário.

Dr. Fauci está sob pressão, e esse ano tem "mid term elections". É por isso que os democratas "sumiram" com o homem. Mudaram o assunto como quem não quer nada. Só falam de Ucrânia agora. Putin deu um presente para Biden, que agora pode culpa-lo por tudo de ruim em sua gestão medíocre.

Mas o Senado não vai permitir isso. O senador republicano Rand Paul tem encampado uma campanha por mais transparência e menos poder concentrado nas mãos de Fauci, e tem tido amplo apoio. O burocrata ambicioso não pode sair impune dessa vez. Os democratas autoritários não podem ser esquecidos nas eleições. Os americanos precisam dar uma resposta nas urnas, mostrar que não vão compactuar com esse tipo de absurdo.

O próprio Ron DeSantis chama por uma "onda vermelha", instando o público a votar pelos republicanos para evitar novas medidas autoritárias no futuro. Pois estejam certos disso: após observarem como foi fácil parar o mundo durante a pandemia espalhando pânico, essa gente certamente encontrará novos pretextos para sua arrogância autoritária.

A sensação que fica é a de que alguns não aceitam em hipótese alguma o fim da pandemia, ou melhor, da histeria com o vírus chinês e suas variantes. A tentação de controle é forte demais nessa turma...

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]