Até quando?
| Foto:

Essa terça-feira foi marcada por mais uma escalada nos atos criminosos após manifestações do dia do professor. Rio e São Paulo merecem destaque, ambos sob governos que são alvos do PT em 2014. Mais de 50 pessoas foram detidas só em São Paulo, em dia em que o uso de balas de borracha voltou a ser liberado.

Pergunto: quantos, desses mais de 50 delinquentes, ainda estão presos? Quantos permanecerão detidos? Eis o problema. O que temos visto é que as manifestações viraram pretexto para ações cada vez mais ousadas dos ditos “black blocs” (há muitos com camisas vermelhas também, e não apenas pretas).

Kennedy Alencar, na CBN, condenou a violência dos “vândalos”, mas criticou tanto a “lei da ditadura”, que permite a prisão dos baderneiros com base na segurança nacional, como o uso de bala de borrachas. Pergunto: como a PM deve agir, então, para conter vagabundos e criminosos? Convidando para um “diálogo”, para um chá das cinco?

A situação não vai sair de controle; ela já saiu! E, em boa dose, isso se deve à postura negligente que parte da opinião pública e, principalmente, da opinião publicada demanda das próprias autoridades. Ao insistir por tanto tempo que são atos violentos de protesto, ou vandalismo, em vez de reconhecer que são milícias políticas, jovens fascistas ou simplesmente criminosos, essas pessoas deixaram a polícia acuada. A impunidade é o maior convite ao crime.

Quem coloca fogo em ônibus, quebra carros particulares, depreda vitrines de lojas e agências bancárias, joga coquetéis molotov na polícia, invade propriedade e rouba, não é vândalo, protestante, manifestante ou anarquista; é criminoso, ponto. Deve ser tratado como tal.

Balas de borracha? Isso é o mínimo que se espera da PM para impor a lei e proteger os demais cidadãos, gente trabalhadora e honesta que exige seu direito de ir e vir e garantia de proteção da propriedade. Esses atos passaram de qualquer limite aceitável, há muito tempo.

Ninguém aguenta mais esses bandidos mascarados agindo impunemente, como se fossem jovens idealistas em busca de uma causa de justiça. Não são! Não importa que Caetano Veloso coloque uma máscara em apoio a eles; continuam sendo apenas criminosos comuns.

Portanto, pergunto: até quando? Vamos realmente ficar de braços cruzados vendo o ovo da serpente fascista ser chocado bem diante de nossos olhos, sob os aplausos de artistas e intelectuais que adoram flertar com regimes autoritários? Chega! A polícia tem que agir, assim como a Justiça. Lugar de criminoso é atrás das grades, não nas ruas.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]