Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Tratamento integrado -Denise Buzato sentia dor na têmpora direita há mais de um ano. Chegou a fazer exame para saber se sofria de sinusite, mas descobriu que tinha um problema na articulação temporomandibular (ATM). “A dor começava de manhã e ia até a noite. Não queria nem ver, nem ouvir ninguém, só deitar”, diz. O ortodontista Gustavo Grublin atendeu Denise, que apresenta quadro de bruxismo, e iniciou com ela um tratamento envolvendo outras áreas do corpo. Hoje, ela usa uma placa estabilizadora para proteger estruturas musculares, faz exercícios de alongamento e evita abrir a boca excessivamente ou comer alimentos muito duros | Aniele Nascimento/ Gazeta do Povo
Tratamento integrado -Denise Buzato sentia dor na têmpora direita há mais de um ano. Chegou a fazer exame para saber se sofria de sinusite, mas descobriu que tinha um problema na articulação temporomandibular (ATM). “A dor começava de manhã e ia até a noite. Não queria nem ver, nem ouvir ninguém, só deitar”, diz. O ortodontista Gustavo Grublin atendeu Denise, que apresenta quadro de bruxismo, e iniciou com ela um tratamento envolvendo outras áreas do corpo. Hoje, ela usa uma placa estabilizadora para proteger estruturas musculares, faz exercícios de alongamento e evita abrir a boca excessivamente ou comer alimentos muito duros| Foto: Aniele Nascimento/ Gazeta do Povo

ENTREVISTA

Jorge Learreta, especialista em patologias temporomandibulares.*

Qual a importância de entender o que é a ATM e os problemas ligados a ela?

Fazer com que a população tome conhecimento das patologias ligadas à ATM é fundamental. Assim, as pessoas se atentam para os sintomas e, principalmente, entende-se que nem todo dentista pode tratar de problemas ligados ao tema, já que isso exige uma formação especializada.

Qual a melhor forma de tratar problemas nessa articulação?

Sem dúvidas começando por um diagnóstico correto. O tratamento está relacionado diretamente com o tipo da doença, não existindo um tratamento único ou universal.

A falta de tratamento para problemas dessa articulação pode prejudicar o corpo?

Os sintomas para problemas de ATM são muito variados. Dessa maneira, a capacidade de trabalhar e até mesmo as relações sociais e familiares podem ser abaladas. Em alguns casos, a falta do diagnóstico adequado pode fazer com que os pacientes sejam tratados como se tivessem problemas psicológicos.

Qual a relação de dores no corpo com a ATM?

Os problemas de ATM criam uma lesão articular, o que leva à alteração no funcionamento dos músculos. Como estes funcionam em cadeia, se um for afetado acaba atingindo todos os outros, tanto os que facilitam, como os que impedem certos movimentos.

Quais os cuidados que as pessoas devem ter com a arti­­culação temporoman­dibular?

Os mesmos que com qualquer outra articulação, o que inclui o cuidado com os golpes. Acima de tudo, a recomendação é procurar um profissional capacitado assim que apareça um sintoma, pois alguns casos podem incluir infecções, o que exigirá cuidado especial.

* Jorge Learreta é diretor da Seção Latino América da American Academy of Craniofacial Pain e diretor do curso de especialização de patologias temporoman-dibulares na Universidad Católica de Salta, Argentina. Tem dois livros lançados sobre o assunto e busca novos diagnósticos e tratamentos para as patologias na ATM em 15 grupos ao redor do mundo.

  • Veja os sintomas de funcionamento inadequado da mandíbula

Você sabia que dores nas costas, cabeça, pescoço e ouvido podem indicar um problema na boca? As duas articulações que ligam o crânio à mandíbula, chamadas de temporomandibular (ATM), são as responsáveis por alguns desses problemas. Conhecida como disfunção temporomandibular, a patologia nem sempre se manifesta com dores no local lesionado, podendo afetar regiões diversas do corpo.

"É comum confundir os problemas de ATM com enxaqueca ou dor de ouvido", diz Lidia Yavich, especialista em Ortopedia Funcional e em Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial e organizadora do Congresso Internacional sobre o tema, que será realizado neste mês em Porto Alegre (RS). Segundo ela, isso faz com que aos primeiros sintomas a pessoa procure outros profissionais, como o otorrinolaringologista, até que chegue ao tratamento adequado, com um dentista especializado.

A escolha de quem vai realizar o tratamento deve ser feita com muito cuidado, segundo Lidia. Para sanar o problema, que inclui a dificuldade em abrir a boca, o dentista deve estar preparado para atender a casos desse tipo. "Se ele não estiver preparado, deve indicar alguém que seja capacitado, já que o estudo correto vai incluir história clínica e exame físico do paciente", diz. Segundo Lidia, é essencial que ao tratar da saúde bucal de quem enfrenta o problema, o especialista não se limite aos dentes do paciente. "O indivíduo deve ser visto como um todo", aconselha.

A postura do corpo, por exemplo, tem uma relação direta com a posição da mandíbula em relação ao crânio. Autor de livros sobre a ATM e especialista em disfunções e dores orofaciais, o médico Roberto Nas­cimento Maciel, diz que é necessário uma interação entre dentistas e fisioterapeutas, para que o problema seja diagnosticado por uma visão individualizada.

Tratamento

Maciel explica que os tratamentos para complicações associadas à ATM seguem uma hierarquia de procedimentos ditada pelas diretrizes da Organização Mundial de Saúde. "A prioridade é sempre o alívio da dor, seguido de uma investigação de todas as causas envolvidas", diz. Mas as maneiras de tratar o problema serão as mais variadas possíveis e dependem diretamente da abordagem que o especialista sugerir. Para que isso aconteça, é sempre necessário investigar o surgimento da patologia.

Lidia diz que os problemas de ATM geralmente surgem por doenças locais e sistêmicas, traumatismos, infecções, processos autoimunes e também problemas dentários. "Pequenos golpes em idades prematuras podem provocar grandes lesões anos mais tarde", exemplifica. A especialista também menciona as infecções no ouvido, que estão diretamente associadas à articulação. "Pela embriologia podemos notar que a formação do ouvido e da articulação temporomandibular tem ligação direta", afirma.

Maciel ainda chama a atenção para o fato de que ao menos 75% dos problemas da ATM envolvem a oclusão dentária, que diz respeito à maneira como os dentes se encontram quando a boca se fecha. Nesses casos, é importante ficar atento ao bruxismo, conhecido como o ato de apertar e ranger os dentes. "As características mais comuns são fraturas dentárias, dores faciais, de pescoço e cabeça e disfunções auditivas, como zumbidos", diz. O bruxismo pode ainda estar associado ao modo de vida do paciente, envolvendo o sono e o estresse, e a forma de tratamento também será adaptada a cada caso.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]