Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

Está na hora de as leis contra a poluição sonora serem respeitadas. Moro próximo ao Clube Nikkei e o local não tem respeitado os moradores do entorno. Quando não são os ensaios de Taiko, há bailes, e quando não há bailes, tem os karaokês. Já reclamei três vezes para a Polícia Militar, mas nada fizeram. Há um ano também registrei reclamação na central 156, mas o órgão responsável pela fiscalização não fez nada. Talvez a saída seja fazer um abaixo-assinado para ver se a Lei 10.625 de 19/12/02 é respeitada.

Alzemar Venâncio

Resposta: O Clube Nikkei já foi notificado e autuado pela Secretaria Municipal do Urbanismo por falta de alvará para as atividades desenvolvidas no local. Essas atividades são permitidas para a área pela Lei Municipal de Zoneamento, desde que o estabelecimento preencha os requisitos exigidos pela lei. Em atenção à queixa do leitor, a Secretaria Municipal do Meio Ambiente também fiscalizou o local e emitiu notificação para paralisação das atividades sonoras pela falta de laudo ambiental de isolamento acústico.

Comentário do leitor: Pela resposta da prefeitura, o clube já foi notificado, porém, continua desrespeitando a lei e as providências que a secretaria pediu. Quero crer que diante disso o clube seja multado ou notificado novamente e tenha suas atividades suspensas até providenciarem o que foi solicitado. Vou ficar de olhos e ouvidos atentos quanto ao desenrolar do assunto.

Fiação

Por toda parte vemos maços de fios cortados caindo dos postes. Parece que a prefeitura e a Copel levaram adiante o projeto de cortarem os cabos das empresas que não pagam a taxa de uso dos postes. Fico pensando se esses cabos não estão fazendo falta. E também pergunto por que quem os cortou não cortou também a outra ponta. Que bela imagem os turistas vão levar. Logo eles que vêm de lugares onde os cabos são enterrados. Podiam cortar as duas pontas ou esperar a Copa passar.

Lisberto Cavalcanti

Resposta: A prefeitura e a Copel vêm realizando operações para retirar postes e cabeamentos irregulares em Curitiba. O trabalho de remoção dos materiais começou pela Avenida Visconde de Guarapuava, depois de vencidos os prazos dados às empresas para regularização e expedidas notificações e penalidades. Somente na região central foram identificados 75 postes instalados sem projeto, alvará, ou qualquer tipo de autorização.

Comentário do leitor: É louvável que a prefeitura e a Copel se reúnam para planejar como tirar os postes irregulares, mas faltou chamar as empresas de gás, saneamento, telefonia e tevês a cabo para planejar uma intervenção urbana única. É lastimável que se tenha pensado apenas em como retirar os postes e não no que fazer com os fios. Poderiam ter pensado, por exemplo, em enterrar os cabos.

Mato

Curitiba, de um modo geral, está descuidada. Terrenos baldios e passeios inexistentes, tomadas por mato ou touceiras de capim colonião forçam pedestres a usar a rua colocando suas vidas em perigo. Apenas para ficar num exemplo, o capinzal do terreno baldio pertencente à prefeitura na Rua Vicente Geronasso esquina com a Benvenuto Gusso já avançou tanto que a rua ficou reduzida a meia pista. O 156 já possui vários protocolos de reclamações sobre o caso e o pedestre continua à mercê do descaso.

Sérgio Vicentin

Resposta: Os serviços de roçada e limpeza na área mencionada pelo leitor estão programados para maio, responde a prefeitura.

* * * * *Buraco na rua? Ônibus demorado? Saneamento ineficiente? Corte de energia? Se você tem comentário a fazer sobre os serviços públicos, entre em contato com a coluna. As mensagens selecionadas serão publicadas às segundas e quintas-feiras. CENTRAL DE ATENDIMENTO AO LEITOR Praça Carlos Gomes, 4 – CEP 80010-140 – Curitiba, PR – Telefone (41) 3321-5999 – Fax (41) 3321-5159 – leitor@gazetadopovo.com.br

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]