Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Lesoto e suas paisagens paradisíacas está na lista dos países visitados por Guilherme Canever.
Lesoto e suas paisagens paradisíacas está na lista dos países visitados por Guilherme Canever.| Foto: Guilherme Canever/Arquivo pessoal

Uma viagem que não segue os roteiros tradicionais. Destinos que não são acessados pelos caminhos mais fáceis. Um turismo fora do convencional. Essas sempre foram as opções do “viajante profissional” Guilherme Canever ao traçar suas rotas de viagem, mas todas as opções ficaram mais evidentes em sua última trajetória. Ele percorreu 20 mil quilômetros por 18 países do continente africano e conta a experiência no livro Destinos Invisíveis – Uma Nova Aventura pela África, lançado pela editora Pulp.

No livro, o curitibano formado em Engenharia Florestal relata o dia a dia dos meses em que passou viajando, ao mesmo tempo em que fala da história, dos conflitos políticos e descreve os costumes dos povos locais. Ou melhor, dos amigos que vai fazendo pelo caminho.

Mercado de segunda-feira em frente à Mesquita Djenné - Mali. Foto: Guilherme Canever/Arquivo pessoal
Mercado de segunda-feira em frente à Mesquita Djenné - Mali. Foto: Guilherme Canever/Arquivo pessoal

São destinos pouco explorados, cuja paisagem e potencial turístico raramente são abordados. Ele passou por Gana, Burkina Faso, Níger, Benim, Togo, Senegal, Gâmbia, Guiné Bissau, Argélia, Tunísia, Mauritânia, Mali, Serra Leoa, Libéria, Guiné, Lesoto, Suazilândia e Zimbábue.

Destinos invisíveis

Se você pouco conhece esses destinos ou apenas já ouviu falar de algumas regiões, deve estar se perguntando: O que a o Mali tem a ver com o Lesoto? E a Suazilândia com a Libéria? A dúvida é pertinente. Tirando o fato de estarem no mesmo continente, esses países têm muito pouco em comum.

Religiões, costumes, formas de governo, moedas, idiomas, características dos habitantes, leis, comidas, clima e topografia mudam consideravelmente de país para país.

O "infinito" Saara, em Mauritânia. Foto: Guilherme Canever/Arquivo pessoal.
O "infinito" Saara, em Mauritânia. Foto: Guilherme Canever/Arquivo pessoal.

A única coisa em comum é que esses lugares fazem parte de um gigante desconhecido (para maior parte de nós) lugar chamado África. É é justamente por isso que Guilherme Canever escolheu o título Destinos Invisíveis – Uma Nova Aventura pela África para batizar seu quarto livro.

Ilha de Gorée de onde saíram vários navios com pessoas escravizadas, no Senegal. Foto: Guilherme Canever/Arquivo pessoal.
Ilha de Gorée de onde saíram vários navios com pessoas escravizadas, no Senegal. Foto: Guilherme Canever/Arquivo pessoal.

São quase 300 paginas, recheadas de fotos mapas e muitas histórias. O prefácio é assinado pelo jornalista André Fran, Diretor e Apresentador dos programas Que Mundo é Esse e o Não Conta lá em Casa.

O autor

Guilherme Canever, que largou a carreira em uma grande corporação para viajar, já lançou os livros "De Cape Town a Muscat: Uma Aventura pela África", "De Istambul a Nova Délhi, Uma Aventura pela Rota da Seda" e "Uma Viagem pelos Países que Não Existem", que teve sua tiragem rapidamente esgotada e transformou Guilherme em uma das principais fontes de referência sobre países não reconhecidos pela ONU.

Guilherme Canever e os amigos que faz pelo caminho. "Destinos Invisíveis" já é o quarto livro que publica contando suas aventuras. Foto: Guilherme Canever/Arquivo pessoal
Guilherme Canever e os amigos que faz pelo caminho. "Destinos Invisíveis" já é o quarto livro que publica contando suas aventuras. Foto: Guilherme Canever/Arquivo pessoal

Há mais de uma década ele dedica boa parte da sua vida às viagens para lugares nada tradicionais. Nelas ele surpreende-se com a hospitalidade de gente simples, experimenta as mais exóticas comidas, vê paisagens deslumbrantes e coleciona inúmeras histórias, todas registradas no blog saiporai.com.

No próximo dia 2 de outubro, às 19h30, Guilherme Canever faz uma bate papo e uma sessão de autógrafos do livro, nas Livrarias Curitiba do ParkShopping Barigui, em Curitiba.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]