Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Mulher no aeroporto
Com planejamento e algumas dicas é preciso acumular mais milhas e, consequentemente, viajar mais aproveitando o recurso.| Foto: Bigstock

Milhas são uma ótima maneira de economizar em viagens pelo mundo e existem maneiras mais rentáveis de aproveitar o benefício. Primeiro é preciso entender que o recurso não é “grátis”, é, sim, uma forma encontrada pelas companhias aéreas para compensar os clientes mais assíduos, assim as companhias podem trocar a exclusividade por passagens áreas. Uma relação de custo benefício que pode beneficiar você e toda a família se bem aproveitada.

Para acumular as milhas, é preciso ser vinculado a algum programa de fidelidade. O número acumulado em cada voo pode variar de acordo com diversos fatores, como distância percorrida, valor da tarifa e classe da cabine. Ou você também pode apenas escolher trocar os pontos acumulados em compras no cartão de crédito por milhas.

Reunimos algumas dicas de como utilizar as milhas de forma mais proveitosa:

1. Cadastre-se nos programas de fidelidade

Faça o cadastro em um programa de fidelidade e comece a juntar pontos, mesmo que você ainda não entenda muito bem como eles podem beneficiá-lo no futuro. A recomendação parece óbvia, mas a avaliação do setor é que os brasileiros ainda exploram pouco este mercado. A Associação Brasileira das Empresas do Mercado de Fidelização (ABEMF) estima que a penetração dos programas de fidelidade no Brasil está em torno de 8% a 10% da população.

O planejamento é essencial para aproveitar muito bem as milhas e a fidelidade. Foto: Bigstock
O planejamento é essencial para aproveitar muito bem as milhas e a fidelidade. Foto: Bigstock

As principais fontes para o acúmulo são o varejo, por meio de programas de fidelidade de coalizão como o Dotz, e os cartões de crédito. "Hoje em dia, consegue-se ganhar milhas com tudo, desde o posto de gasolina até gastos com farmácia", explicou Max Oliveira, fundador da empresa de compra e vendas de milhas MaxMilhas em entrevista à Gazeta do Povo

2. Pague no crédito

O cartão de crédito é a principal ferramenta para acumular pontos hoje. Cada banco tem seu programa. É preciso descobrir se o seu cartão de crédito é elegível para estes programas e ativar o cadastro. A concentração de gastos no cartão é uma orientação básica para turbinar pontos sem gastar mais no dia a dia. Alguns têm metas mensais de gastos que podem multiplicar os pontos. A dica é procurar cartões de crédito que pontuam mais.

3. Escolha a companhia aérea

Se o objetivo final é viajar com milhas, a recomendação é descobrir que companhia tem os voos mais interessantes nas rotas que você quer fazer. Na hora de comprar passagens, também vale a pena optar pela mesma companhia se a diferença de preços for pequena. Pulverizar milhas em vários programas geralmente significa perder boa parte delas, porque os pontos acabam vencendo antes de atingirem valores suficientes para o resgate de passagens.

4. Espere para transferir

As companhias aéreas são o destino final dos pontos gerados em programas de fidelidade. Depois de transferi-los para um programa de milhagem, você só tem duas saídas: usá-los para resgatar passagens ou vendê-los em sites de compra e venda de milhas, que não são unanimidade no setor e não são autorizadas pelas companhias. Por isso, a dica é acumular os pontos nos programas dos cartões de crédito, que funcionam como intermediários: dali, a transferência pode ser feita para qualquer companhia aérea.

Preste atenção na hora certa para fazer isso. São frequentes nos programas de fidelidade das companhias aéreas promoções de bonificação para a transferência de pontos — algumas chegam a oferecer 100%. O resultado é que você pode ter milhas em dobro se esperar o melhor momento para transferir. É assim que muita gente consegue multiplicar suas milhas.

A desvantagem deste método é a demora para transferir os pontos do cartão para o programa de milhas, que pode levar alguns dias e fazer o cliente perder alguma promoção de ocasião. Neste caso, uma das opções oferecidas pelas empresas é transferência imediata mediante o pagamento de uma taxa em pontos.

5. Pontos têm validade

Segundo a ABEMF, a taxa de “breakage”, que mede a quantidade de pontos ou milhas expirados, está em torno de 17% no país. Como o acúmulo leva tempo, é fundamental entender a validade dos pontos, que costuma ser entre dois e três anos — cada programa tem suas regras. A dica é ter uma planilha e anotar o vencimento das milhas com até seis meses de antecedência para dar tempo de se programar.

Dependendo do regulamento, uma nova data de validade pode começar a contar quando há transferência dos pontos do cartão de crédito para o programa de milhas aéreas.

6. Não troque por sanduicheira

Alguns dos principais programas de fidelidade usam o sistema de coalizão, em que é possível usar os pontos para trocar por produtos como eletrodomésticos. Mas fique atento, essas compras podem não compensar. E, geral, eles pedem muitas milhas para um produto que poderia ser comprado por um valor menor do que elas valem.”

7. Pesquise

Você não precisa se tornar um expert no assunto. Os sites dos programas de fidelidade são bastante autoexplicativos, com tutoriais e explicações sobre como acumular ou resgatar. Fique "amigo" das companhias e pesquisa bastante para encontrar a forma de acumular que mais combina com seus estilo de vida.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]