i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Alívio em Tapira

Bebê sequestrado em creche é resgatado

Funcionário público flagra falsa tia com a criança no colo. Caso mobilizou comunidade

  • PorHélio Strassacapa
  • 24/04/2009 21:09
A mãe Franciane Trindade Valim: depois do susto, o desejo agora é aproveitar cada momento com o filho de oito meses | Reprodução RPC TV
A mãe Franciane Trindade Valim: depois do susto, o desejo agora é aproveitar cada momento com o filho de oito meses| Foto: Reprodução RPC TV

Criança é arrastada por 1 km

São Paulo - Um bebê de 4 meses sobreviveu após ser arrastado por quase 1 km durante assalto na noite de quinta-feira em Maceió. Segundo a polícia, a mãe do bebê saía de um prédio no bairro de Ponta Verde quando foi rendida por três homens. Ela saiu do carro e tentou retirar a cadeirinha com o bebê, que estava no banco de trás. Os bandidos aceleraram o carro e a cadeirinha ficou pendurada pelo cinto de segurança, pelo lado de fora do carro, arrastando o bebê. Os motoristas que passavam começaram a alertar os bandidos. Ao perceberem que uma criança estava sendo arrastada, os bandidos pararam o carro, colocaram a cadeirinha na calçada e fugiram. Um motociclista acionou uma ambulância. A criança foi levada à Santa Casa com escoriações leves e teve alta por volta do meio-dia.

Agência Estado e Folhapress

Maringá - A história de Rafael, um bebê de 8 meses, de Tapira, cidade de 5,8 mil habitantes no Noroeste do Paraná, poderia ter terminado de forma trágica se não fosse a mobilização da comunidade. Rafael foi levado da creche onde passa o dia enquanto os pais trabalham no corte da cana-de-açúcar, na tarde de quinta-feira, por uma mulher que se dizia tia dele.

A população, ao saber do sequestro, imediatamente saiu à caça da forasteira, que foi encontrada com a criança já na rodovia, onde pretendia conseguir carona. "Fiquei desesperada. Achei que nunca mais fosse ver o meu menino", desabafa a mãe dele, Franciane Trindade Valim, de 20 anos.

Até o prefeito ajudou nas buscas. Depois do expediente, ele foi ao local, colocou Franciane em seu carro e tomou a direção que supostamente a mulher teria seguido com Rafael. Encontraram apenas o carrinho de bebê que a sequestradora também havia levado.

Mas o grande herói da história foi o funcionário da Sanepar Gerson Alves da Silva. Ele saiu com seu carro por uma estrada vicinal em direção à rodovia, onde encontrou uma suspeita com um bebê nos braços, por volta de 19 horas. Ele tirou Rafael da mulher, obrigou-a a entrar no carro e levou os dois à delegacia. "Fiquei com medo de ser uma quadrilha e que tivesse alguém ali por perto", conta.

Marciana dos Santos Santana foi autuada em flagrante por sequestro de incapaz e por falsidade ideológica. Ela está presa na Delegacia de Nova Olímpia.

Passado o susto, Franciane ainda não decidiu se Rafael vai voltar a frequentar a creche, e agora só quer curtir o filho. "Olho para ele e fico imaginado o que passou na mão daquela mulher. Quero ficar sempre perto dele", disse.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.