i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
violência

Desaparecidas desde janeiro, três brasileiras são achadas mortas em Portugal

Os corpos das mulheres de 16, 21 e 28 anos foram encontrados em Cascais, perto de Lisboa. Suspeito de ter cometido os crimes é o namorado de uma delas

    • São Paulo
    • Folhapress
    • 27/08/2016 11:27
     | Reprodução/Diário de Notícias
    | Foto: Reprodução/Diário de Notícias

    Três brasileiras desaparecidas desde janeiro foram encontradas mortas pela polícia de Portugal em Cascais, cidade a 25 quilômetros de Lisboa. As informações são do jornal português “Diário de Notícias”.

    Os corpos de Michelle Santana Ferreira, 28 anos, Lidiana Neves Santana, 16 anos e Thayane Mendes Dias, 21 anos, foram encontrados nesta sexta (26) à tarde dentro de um tanque em um hotel para cães e gatos. Michelle estava grávida de três meses, segundo a polícia portuguesa.

    A Polícia Judiciária de Portugal descobriu os corpos após a confissão do principal suspeito do crime, Dinai Alves Gomes, namorado de Michelle, que era funcionário do hotel de animais e voltou ao Brasil dias após o desaparecimento das mulheres. Ele está no Brasil sob custódia da Polícia Federal.

    O motivo do crime é desconhecido, mas amigos das vítimas dizem que Gomes era violento com a namorada.

    Em outubro do ano passado, Michelle foi alvo de uma agressão na rua, sem ter tido nada levado. Ela também teve documentos roubados de seu apartamento.

    Gomes havia dito à família de Michelle que ela e as duas amigas teriam ido para Londres para trabalhar e estudar. Ele afirmou ainda que ela não queria ser encontrada pela ex-patroa, para quem trabalhava como empregada doméstica e, por isso, havia apagado seu perfil no Facebook.

    A família desconfiou da explicação. Além disso, a Interpol disse não haver qualquer registro da saída das jovens de Portugal ou de sua entrada no Reino Unido.

    Michelle e Lidiana eram irmãs, nascidas na cidade de Campanário, em Minas Gerais. Thayane era do Espírito Santo, assim como Gomes.

    Segundo o jornal português “Público”, Michelle chegou a Portugal há oito anos. No final do ano passado, Lidiana, sua irmã mais nova, se juntou a ela.

    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.