Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Médico se manifestou novamente sobre o caso nesta terça (10)
Médico se manifestou novamente sobre o caso nesta terça (10)| Foto: Reprodução

O médico Drauzio Varella publicou um vídeo nesta terça-feira (10) em que pede desculpas à família do menino de 9 anos estuprado e morto pela trans Suzy. “Posso imaginar a dor e peço desculpas à família do menino, que foi involuntariamente envolvida no caso”, disse Varella.

Em reportagem veiculada pelo Fantástico, em 1 de março, o médico entrevistou presas transexuais e mencionou que elas não recebiam visitas ou cartas há anos no sistema penitenciário, mas não mencionou os crimes cometidos pelas detentas. Ele reafirmou que ficou sabendo qual era o crime da entrevistada somente após a repercussão da matéria.

No mesmo vídeo, o médico afirmou que as estatísticas oficiais informam que a maior parte das transexuais foi para a prisão por roubo ou furto e reconheceu que a reportagem dava a entender que Suzy se enquadrava nesse quadro. O caso, porém, trata-se de estupro e homicídio.

Sobre o abraço em Suzy, o médico disse: “Para quem acha que eu errei, me desculpa. Mas esse é o meu jeito. Eu lamento, mas assumo totalmente a responsabilidade pela repercussão negativa que o caso teve”. Varella finalizou o vídeo salientando que não será candidato a nada e criticou o uso político do caso.

Anteriormente, em 8 de março, Varella havia publicado uma nota de esclarecimento em que afirmava que era médico e não juiz. "Há mais de 30 anos, frequento presídios, onde trato da saúde de detentos e detentas. Em todos os lugares em que pratico a Medicina, seja no meu consultório ou nas penitenciárias, não pergunto sobre o que meus pacientes possam ter feito de errado. Sigo essa conduta para que meu julgamento pessoal não me impeça de cumprir o juramento que fiz ao me tornar médico. No meu trabalho na televisão, sigo os mesmos princípios. No caso da reportagem veiculada pelo Fantástico na semana passada (1/3), não perguntei nada a respeito dos delitos cometidos pelas entrevistadas. Sou médico, não juiz, disse o médico no último domingo.

Rede Globo pede desculpas

Na edição do Jornal Nacional desta terça-feira (10), o apresentador William Bonner leu uma nota com o posicionamento da Rede Globo sobre o caso. Nela, a emissora pediu desculpas aos familiares da criança e aos telespectadores pelo fato de a reportagem do Fantástico não informar quais eram os crimes de Suzy.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]