i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Interesses econômicos

Em carta, cientistas apontam pressão por drogas mais caras contra a hidroxicloroquina

  • PorDenise Drechsel
  • 07/05/2020 09:40
Jair Bolsonaro
Cientistas querem que Bolsonaro dê apoio ao uso de hidroxicloroquina em estados com mais casos da Covid-19. Esta imagem é de 9 de abril, quando o presidente, em live, falou do medicamento.| Foto: Reprodução

“Por que não, Sr. Presidente?”, pergunta um grupo de cientistas ao presidente Jair Bolsonaro sobre a demora do Ministério da Saúde em indicar o uso da hidroxicloroquina em pacientes com os primeiros sintomas da Covid-19, como já permitiu o Conselho Federal de Medicina. “Será que estão menosprezando a HCQ só para gastar fortunas com outras drogas mais caras, como o favipiravir e o remdesivir ou alguma outra, igualmente caríssima?”.

Os questionamentos estão em uma carta aberta a Bolsonaro, assinada por 13 cientistas e publicada no site “Brasil sem Medo”, nesta quarta-feira (6). Após apontar uma série de países que estão utilizando a hidroxicloroquina na fase precoce da doença, os pesquisadores recomendam o uso nos estados com mais casos da doença, como Amazonas, Pará e Ceará.

“A Costa Rica utiliza a HCQ, até preventivamente, com excelentes resultados, até hoje com somente 6 mortes. Portugal usa a HCQ desde o início da pandemia, precocemente. A Itália, ainda que tardiamente, não persistiu no erro e começa a usar a HCQ, também precocemente. A Índia, a Turquia e o Senegal também a usam, com taxas de letalidade para casos reportados bem menores, abaixo de 1%. A Argélia passou recentemente a usar a HCQ, e houve uma queda acentuada de mortes”, escrevem.

Os pesquisadores citam, além do estudo da Prevent Senior, não publicado ainda por ter sido realizado sem autorização do Conselho Nacional de Ética em Pesquisa (Conep), o do médico francês Didier Raoult com 1.061 pacientes que, segundo eles, deverá ser publicado em breve em uma revista médica internacional. Em uma citação velada à pesquisa de Manaus, onde morreram 11 pessoas após altas doses de cloroquina (a bula indica uma dose máxima de cloroquina de 1.500 mg em três dias, e os médicos em Manaus utilizaram 6.000 mg em 5 dias) – e por isso os responsáveis estão sendo investigados pelo Ministério Público Federal (MPF) –, os cientistas insistem que, na dose certa, médicos que usam o medicamento há 40 anos apontam que os efeitos colaterais são quase inexistentes.

“Os resultados são inquestionáveis! A droga funciona! Quando a HCQ É ADMINISTRADA NA DOSAGEM CERTA, E NA HORA CERTA, PRECOCEMENTE, SALVA VIDAS, E MUITAS! [sic]”, afirmam.

“Presidente, uma sugestão: Inicie pelos estados do Amazonas, Pará e Ceará, onde a situação é mais crítica. Há HCQ suficiente para eles, e o Conselho Regional de Medicina do Amazonas e a Secretaria de Saúde do Pará já recomendam o uso precoce de HCQ”.

Leia também: MPF investiga estudo com altas doses de cloroquina depois da morte de 11 pacientes

Droga é usada há 40 anos com poucos efeitos colaterais

Após a divulgação de mortes em pesquisa realizada pela Fiocruz em Manaus, com altas doses de cloroquina, médicos em todo o Brasil ficaram com receio de prescrever a substância. A insistência de Bolsonaro para o uso da droga, apresentando a substância como cura segura da doença, também fez com que cientistas críticos ao governo abandonassem as pesquisas com a droga ou a utilizassem apenas nas fases mais graves da doença, quando o pulmão e outros órgãos já estão comprometidos e, em tese, a hidroxicloroquina – que apenas ataca o vírus – não pode regenerar o que já está perdido.

Para médicos como presidente da Sociedade Brasileira de Clínica Médica, Antônio Carlos Lopes, que utiliza a cloroquina há 40 anos, o receio na utilização do medicamento nasce do desconhecimento da droga. Em entrevista para a rádio Jovem Pan, em 10 de abril, ele esclareceu que os efeitos colaterais são raros se a droga é usada em dose correta.

“Os efeitos colaterais da cloroquina são muito raros. É descrita a possibilidade de alteração cardíaca, de arritmia cardíaca, mas na realidade não é o que se constata na prática. Eu, por exemplo, receito esse medicamento há 40 anos para outros tipos de doença e não constatei nenhum efeito colateral da doença, nem do ponto de vista cardíaco, nem do ponto de vista hepático ou renal. Tudo isso é muito desprezível dentro do contexto do benefício que a droga possa trazer. Todas as drogas têm efeitos colaterais, e o médico tem o dever de saber. Essa composição não limita o uso da droga”.

Perguntado por que ele acha que os médicos têm receio de usar a cloroquina, ele afirmou que é por não terem experiência com o medicamento.

“A grande maioria dos médicos nunca usou a cloroquina, nem sabe o que é, e encontra efeitos colaterais na literatura médica, mas o que se fala disso é muito mais por não conhecer a droga, por não ter usado a droga. E aí atemoriza quem não exerce a clínica médica, quem não está à beira do leito, quem não está no ambulatório. No Nordeste, no Norte, ela é altamente empregada e ninguém nunca teve efeito colateral [que desautorizasse o uso]”.

Sobre a pesquisa com altas doses de cloroquina em Manaus, além de investigação do Ministério Público, o Conselho Nacional de Ética em Pesquisa confirmou estar apurando se houve falha ética no experimento.

12 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 12 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • P

    Paulo Henrique

    ± 5 dias

    O pior cego é o que não quer ver. Que a indústria farmacêutica tem interesse em produzir uma droga nova para o tratamento da COVID19 e faturar zilhões, ao invés de ver a velha e barata hidroxicloroquina ser usada para este fim, é algo que já deveria ter chamado a atenção até das pedras do cais do porto. O que é estarrecedor, porém, é que isso não esteja sendo aventado a torto e a direito na grande imprensa.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • L

    Luiz

    ± 16 dias

    Será que o Bolsonaro vai ter que demitir outro ministro da saúde pra que este medicamento seja recomendado ? Quantas pessoas terão que morrer até que isto ocorra ?

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • J

    JOSE MUNIZ SOBRINHO

    ± 16 dias

    A CLOROQUINA E A PODEROSA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA Quem dita as regras das terapias é a poderosa indústria farmacêutica. Os médicos via de regra, são subservientes à Bayer, Roche, Schering, Novartis, Glaxosmithkline, Merck, etc. Cloroquina é barata e a patente já caducou, não gerando royalties. Assistam ao filme MORRENDO POR NÃO SABER (Dying to Have Know) no seguinte endereço: vimeo.com/23702200 e vejam a grande farsa da indústria farmacêutica mundial, dos médicos oncologistas e dos hospitais que acolhem os portadores de câncer. Assistam, também, no youtube Vida após Vida, no seguinte endereço: https://www.youtube.com/watch?v=7NZmzz0ULFk

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • S

    Sr. Walker

    ± 17 dias

    Jesus Cristo, agora uns tais cientistas que não se conhece, acabam de criar a teoria da conspiração da Hidroxicloroquina. Será que são brasileiros, e adoradores do grande deus branco bolsonaro? Morro e não vejo tudo.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    2 Respostas
    • J

      joavila

      ± 7 dias

      Cientistas que você não conhece, pelo jeito. Acho que não é médico ou não mora no Brasil.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • A

      alexsandro lima

      ± 17 dias

      Sr. Walker, Burrice é politizar esse assunto. Caso seja infectado (o que não desejo) vc pode se negar a usar a HCQ. Talvez morra vendo (e quem sabe aprendendo) alguma coisa mais.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • J

    João Batista Siqueira

    ± 17 dias

    A princípio, acho que numa situação de desespero como a atual é lícito se administrar a hidroxicloroquina, caso haja consentimento do paciente. Contudo, só para esclarecimento, quem assina a carta é Marcos Eberlin, que não é médico, embora tenha relevantes trabalhos na sua área, a química. A reportagem também omite que ele é defensor do "design inteligente", rechaçado veementemente pela ciência. É necessário ter cautela com pseudociência. Estamos tratando de vidas humanas.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    2 Respostas
    • W

      WILSON

      ± 17 dias

      Leia a carta na íntegra ! É totalmente lógica ,racional e deixa a gente pensando quem está querendo levar vantagem deixando as pessoas morrerem por inação? É realmente criminoso o que está acontecendo !

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • A

      Adriano

      ± 17 dias

      As palavras do presidente da Sociedade Brasileira de Clínica Médica, Antônio Carlos Lopes, à Jovem Pan são bem esclarecedoras, não é de se desprezar.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • J

    Josphin

    ± 17 dias

    Mas não foi exatamente o Bolsonaro que defendeu o uso da hidrocloroquina desde o inicio da pandemia, quando então foi boicotado pelamidia e pelos politicos, inclusive pelo ex-ministro da saúde, o Maletta?

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • L

    Leonardo Santana

    ± 17 dias

    O papel de um jornal deveria ser justamente o de levar este tipo de informação ao maior número de pessoas possíveis. É preciso que as pessoas saibam que a HCQ é realmente uma possibilidade eficiente e muito mais econômica do que as futuras drogas que irão ser criadas a preços absurdos apenas para alimentar a industria da morte (Por que nem todos irão poder comprá-los).

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • A

    André Sena Pereira

    ± 17 dias

    Deixe-me dizer algo como desabafo: este é, sem dúvida, um dos artigos mais relevantes que li sobre a pandemia atual. Digo isso como médico, com mais de 30 anos de formado, que leio todos os dias em três línguas artigos sobre o corona vírus. Por que a HCQ não faz parte dos protocolos precoces? Por que tanto pavor com uma droga que se conhece a décadas? Por que tanta importância em drogas bem mais caras sem estudos? Uma ilha de lucidez, este artigo, num mar de ignorância e cretinice.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]