i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Transporte Coletivo

Greve de ônibus chega ao quarto dia com menos da metade da frota circulando

Atualmente, a multa por descumprimento da frota mínima é de R$ 100 mil por hora, mas a Justiça avalia elevar o valor para R$ 200 mil

  • PorKatia Brembatti e Laura Beal Bordin
  • 18/03/2017 12:19
Número de veículos em circulação é menor do que o de terminado por decisão judicial | Daniel Castellano/Gazeta do Povo
Número de veículos em circulação é menor do que o de terminado por decisão judicial| Foto: Daniel Castellano/Gazeta do Povo

A greve do transporte coletivo em Curitiba entra no quarto dia, com menos de 50% da frota circulando. De acordo com a URBS, o porcentual de veículos atendendo à população chegou a 5% durante a madrugada. Às 9 horas deste sábado (18), a quantidade de ônibus atingiu a metade do esperado para o horário em dias sem paralisação – mínimo exigido por decisão judicial. Mas, por volta das 10 horas, a informação é de que apenas 37% da frota estava circulando, quando deveria ser de pelo menos 40%. No início da tarde, a estimativa é de que 23 estações-tubo estavam sem cobrador.

O cenário é de complicação para os usuários: pontos de parada estão cheios, veículos continuam lotados e o tempo de espera é bem maior do que em dias normais. Atualmente, a multa por descumprimento da frota mínima é de R$ 100 mil por hora, mas a Justiça avalia elevar o valor para R$ 200 mil.

A greve deve se estender até terça-feira (21), pelo menos. Depois de quatro horas de audiência no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), motoristas e cobradores do transporte coletivo, empresas de ônibus, Urbs e Comec não chegaram a um acordo, levando ao agendamento de uma nova audiência na terça-feira.

Durante a reunião, não houve nova proposta do Setransp, sindicato patronal, que continuou oferecendo um reajuste de 5,43% – índice da inflação. O Sindimoc, sindicato que representa os motoristas e cobradores, pede 15% de aumento salarial e elevação do vale-alimentação de R$ 500 para R$ 977. O Setransp informou que não fará uma nova proposta antes da próxima audiência.

Enquanto a audiência acontecia no TRT, várias denúncias começaram a surgir de que cobradores estavam sendo retirados das estações-tubo e de que os passageiros eram impedidos de entrar. Alguns cobradores afirmaram que deixaram os postos por ordem do sindicato. O Sindimoc negou que tenha tirado os trabalhadores dos postos de trabalho e afirmou em nota que está buscando descobrir quem estaria se passando por membro da entidade. Um boletim de ocorrência foi registrado na delegacia, mas o sindicato não identificou quem seriam os responsáveis pela abordagem.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.