i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
espírito de natal

Padre Reginaldo Manzotti se comove com história do Papai Noel preto e faz doações

Religioso vai contribuir com doações, para que voluntário que se veste de bom velhinho possa ampliar distribuição de presentes

  • PorFelippe Aníbal
  • 08/12/2016 10:07
 | Albari Rosa/Gazeta do Povo
| Foto: Albari Rosa/Gazeta do Povo

A história do gesseiro João Alves Nascimento – que, negro, venceu o preconceito para se tornar Papai Noel e distribuir presentes a crianças de comunidades carentes de Curitiba e região – comoveu o padre Reginaldo Manzotti. O religioso, que se notabilizou por usar meios de comunicação para evangelizar, telefonou ao voluntário e disse que vai contribuir com doações, para que o bom velhinho consiga ampliar a entrega de brinquedos.

“É uma pessoa que, apesar de ter uma história sofrida e difícil, não se deixou tornar uma pessoa amarga. Ele conseguiu transformar o seu sofrimento e suas atribulações internas em algo para, por meio da solidariedade, amenizar o sofrimento dos outros. Ele nos mostra que o importante é a solidariedade”, disse o padre.

A iniciativa de Alves Nascimento foi contada em reportagem da Gazeta do Povo. O gesseiro – que é conhecido pelo apelido de Cana Brava – foi desencorajado por amigos, quando anunciou que queria assumir a função de Papai Noel e presentear crianças de favelas. Acabou conhecido como “Papai Noel preto”.

Para o padre Reginaldo Manzotti, Alves Nascimento dá uma lição sobre o que é, realmente, o natal. “Não importa se é branco, se é negro. Ele personifica o espírito de São Nicolau, que foi o verdadeiro Papai Noel”, disse o religioso, em referência ao santo que nasceu no ano de 275, na Ásia Menor, e que ficou reconhecido ao partilhar todo seu dinheiro com pobres e por distribuir presentes às crianças no período do natal.

“Ele [Alves Nascimento] nos fez refletir sobre isso e nos faz ver que o Papai Noel deve voltar a ser quem era: um símbolo de solidariedade, não um personagem de marketing”, apontou o religioso.

Paralelamente, o padre Reginaldo Manzotti prepara a “Missa para um natal solidário”, que será realizada no sábado (17), na Praça Nossa Senhora de Salete. O religioso espera reunir milhares de pessoas na celebração, que vai contar com a participação de famosos, como o cantor Thiaguinho e Wagner Barreto (vencedor do programa The Voice Kids). A expectativa é de que comunidade receba “toneladas” em doações de alimentos

“Papai Noel preto” espera triplicar distribuição de presentes

Desde que a reportagem foi publicada pela Gazeta do Povo, o telefone de João Alves do Nascimento não para de tocar. As ligações partem de pessoas dispostas a ajudar com a iniciativa do “Papai Noel preto”, por meio da doação de brinquedos ou roupas, a serem distribuídos às crianças carentes. “Eu estou sentindo uma felicidade tão grande, que você não pode fazer ideia”, resume.

Além do telefonema do Padre Reginaldo Manzotti, Alves Nascimento recebeu diversas manifestações de apoio, entre as quais a de um empresário, que deve ajudar na ação de solidariedade. “Se todo mundo que prometeu realmente fizer as doações, a gente vai fazer a distribuição em três dias: 22, 23 e 24 de dezembro. Vai faltar é Papai Noel”, disse o voluntário.

Em seguida, Alves Nascimento contou que já recebeu oferta de ajuda para reforçar o time de “bons velhinhos”, para garantir que todos os presentes sejam entregues. “Tem um colega meu que também é negro e outro, que é branco, que também querem se vestir de Papai Noel para ajudar. Então vão ser dos Papai Noéis pretos e um branco”, disse Alves Nascimento.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.