Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

A Polícia Militar (PM) informou que vai abrir um inquérito para investigar o caso de um adolescente de 15 anos que foi atingido por quatro tiros durante a Parada Gay, realizada no último domingo (19), em Curitiba. O jovem levou um em cada braço e dois nos pés. Dois dos quatro tiros teriam sido disparados pelo próprio revólver calibre 38 que o rapaz portava. A família do garoto acusa a PM e sugere a realização de um exame de balística para esclarecer qual teria sido a origem dos disparos.

O irmão do jovem prestou depoimento sobre o caso na Delegacia do Adolescente. Em sua versão, o adolescente fugiu ao perceber a abordagem e foi alvejado duas vezes. Na sequência, os policiais teriam usado a arma do garoto para efetuar os outros disparos.

Segundo a PM, o rapaz fugiu da abordagem, entrou em um beco e disparou duas vezes contra os policiais antes de ser baleado. A arma disparada contra o adolescente seria uma pistola ponto 40 dos policiais. A PM ainda informa que o revólver do jovem é calibre 32 e não 38.

No domingo, quando o incidente ocorreu, os oficiais informaram à sala de imprensa da PM que o jovem foi encaminhado ao Hospital Evangélico com um tiro na perna. Porém, segundo o próprio hospital e a família da vítima, ele foi atingido por quatro disparos. O adolescente teve alta no fim da tarde desta terça-feira (21).

O pai do adolescente, o entregador Sebastião Moreira, de 58 anos, afirma que o filho andava armado em uma tentativa de se proteger, porque estaria jurado de morte no bairro em que mora. O garoto conta que iria ao Shopping Mueller com outros dois rapazes, mas que passariam pela Parada da Diversidade em busca de drogas quando foram abordados pelos policiais.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]