Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Retrato falado de um dos acusados de cometer o roubo | Polícia Civil
Retrato falado de um dos acusados de cometer o roubo| Foto: Polícia Civil
  • Outro procurado: imagens foram feitas com base em depoimentos das vítimas
  • Uma mulher também participou da ação e é procurada pela polícia

Depois de quatro meses da ocorrência, a polícia divulgou, nesta segunda-feira (18), os retratos falados de três assaltantes que, no dia 16 de junho, roubaram a cobertura de um prédio residencial, no bairro Batel, em Curitiba. Na ocasião, uma quadrilha com cinco integrantes entrou no prédio, usando uniformes de uma empresa de TV por assinatura e cometeu o assalto, levando cerca de R$ 100 mil, em dinheiro e joias.

Segundo o delegado Vinícius Martins, da Delegacia de Furtos e Roubos (DFR), as imagens foram elaboradas digitalmente, com base em informações repassadas por três pessoas que foram mantidas reféns pelos bandidos. Como as vítimas não mantiveram contato visual com todos os assaltantes, não foi possível obter retratos falados de todos os integrantes do grupo criminoso.

"Essas imagens vão ser amplamente divulgadas. Nossa expectativa é que a população nos ajude com informações que possam levar aos acusados", disse o delegado. As denúncias podem ser repassadas anonimamente pelos telefones 3218-6100 e 181.

O crime

De acordo com as investigações, no dia 16 de junho, dois homens que vestiam uniformes, se apresentaram ao porteiro como funcionários de uma empresa de TV por assinatura e disseram que fariam reparos na rede. Assim que entraram no residencial, eles sacaram uma arma e renderam o porteiro, que foi trancado em uma sala.

Em seguida, os outros integrantes da quadrilha entraram no prédio. Uma mulher –cujo retrato falado foi divulgado – ficou na portaria e chegou a conversar com moradores, que chegaram posteriormente. Segundo a polícia, o restante do grupo foi direto à cobertura, onde manteve a empregada doméstica refém.

A dona do apartamento e uma mulher que a visitava chegaram em seguida e também foram rendidas pelos bandidos. Imagens da perícia mostram que os assaltantes reviraram diversos cômodos. A ação dos assaltantes durou cerca de uma hora. Eles fugiram, levando R$ 20 mil e US$ 20 mil em dinheiro, além de joias.

De acordo com a polícia, a quadrilha usava um carro completamente identificado com a logomarca da operadora de TV a cabo. Na cobertura, um dos bandidos esqueceu um crachá falso da empresa. Os bandidos levaram também o computador no qual ficavam armazenadas as imagens das câmeras de segurança do prédio.

"Esse crime foi cometido por pessoas que conheciam a família ou que tinham informações privilegiadas sobre as vítimas. Foi uma ação muito bem premeditada", disse o delegado.

Prisão

No dia 6 de outubro, policiais do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope) prenderam cinco acusados de integrar uma quadrilha especializada em assaltar agências bancárias.

Uma característica deste grupo é que os integrantes usavam disfarces para não chamar a atenção e para efetuar os roubos. No dia 17 de agosto, um dos integrantes da quadrilha se vestiu de médico para assaltar um posto bancário do Santander, no Bigorrilho. Depois de entrar no estabelecimento, ele rendeu os seguranças e permitiu o acesso do restante do grupo ao posto.

Em outro assalto, no dia 20 de setembro, os bandidos usaram uniformes de funcionários da Petrobras para conseguir entrar em uma agência do Banco do Brasil. A polícia, no entanto, ainda não averiguou se esses assaltos a banco têm relação com o roubo da cobertura no Batel.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]