Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
 | Henry Milleo/Gazeta do Povo
| Foto: Henry Milleo/Gazeta do Povo

E virou rotina. Motoristas e cobradores de ônibus de Curitiba fecharam a Praça Rui Barbosa, principal ponto de convergência de linhas no Centro da capital, nesta sexta-feira (8), para protestar contra mais um atraso de salários. O problema, segundo eles, voltou a ocorrer neste mês de janeiro, no pagamento referente à dezembro.

Com o fechamento da praça, todas as linhas de ônibus que circulam pela região ficaram paradas por 30 minutos, das 15h50 até as 16h20, de acordo com o sindicato que representa a categoria (Sindimoc). O fluxo dos veículos já estava normalizado 16h30. O protesto desta tarde não estava programado e foi decidido pelos trabalhadores na hora.

O sindicato afirmou que algumas empresas não pagaram, mas não detalhou quais delas. Disse ainda que alguns motoristas receberam apenas parte dos salários. A entidade que representa os trabalhadores salientou ainda que já tem indicativo de greve aprovado.

Já o Sindicato das Empresas de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana (Setransp) informou, por meio de nota, que as dificuldades que algumas viações têm enfrentado para honrar integralmente a folha salarial de seus colaboradores é consequência de uma tarifa técnica que não cobre os custos de operação do sistema de transporte. Ainda não há o levantamento de quais empresas não depositaram os salários.

Em nota, a Urbs informou que o pagamento relativo aos serviços prestados pelas empresas de ônibus está em dia. Assim, irá notificar as viações para que comprovem o pagamento dos salários dos trabalhadores e também irá autuá-las pelos atrasos em cerca de 25 linhas de transporte coletivo, ocasionados pela manifestação dos trabalhadores na Praça Rui Barbosa, que durou cerca de 30 minutos.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]