i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
“pane seca”

Postos de combustíveis: dois foragidos de operação que apura fraudes se entregam

No último sábado, ação já havia resultado no fechamento de nove estabelecimentos e na prisão de seis pessoas

  • PorRaphael Marchiori e Carolina Olinda
  • 28/03/2017 12:57
Operação apura a suspeita de adulteração  na quantidade de combustível vendida em nove postos de Curitiba | Daniel Castellano/Gazeta do Povo
Operação apura a suspeita de adulteração na quantidade de combustível vendida em nove postos de Curitiba| Foto: Daniel Castellano/Gazeta do Povo

Mais duas pessoas foram presas na noite desta segunda-feira (28) em função das investigações da Operação Pane Seca, que apura a venda de combustível adulterado em Curitiba. Os detidos eram considerados foragidos e se entregaram à polícia. Ao todo, oito pessoas já foram presas e quatro ainda seguem foragidas.

Um dos presos nesta segunda é Onildo Cordova II, dono de quatro dos nove postos fechados. A identidade do outro foragido detido ainda não foi revelada. Entre os quatro que continuam foragidos está o empresário Genisson Rosa, filho de Eugenio Rosa da Silva. Eles são donos de uma conhecida churrascaria de Curitiba e de três postos de combustível na cidade. Rosa da Silva foi preso no sábado no Aeroporto Afonso Pena logo após desembarcar o terminal.

Na última quinta-feira (23), antes da deflagração dessa operação, o presidente da Associação Brasileira de Combate a Fraudes de Combustívies, Fabrizzio Machado da Silva, de 34 anos, foi morto a tiros quando chegava em casa, no Capão da Imbuia. Ele foi o responsável pela denúncia do esquema fraudulento. A polícia ainda apura a relação entre a morte de Fabrizzio e a investigação.

No último sábado (25), a polícia fechou nove postos de gasolina. Segundo as investigações, os estabelecimentos fraudavam a quantidade de combustível que saia de das bombas. Seis pessoas foram presas durante a operação.

A investigação teve início após denuncia da Associação Brasileira de Combate a Fraudes de Combustíveis (ABCFC). Os seis primeiros presos foram levados para a Casa de Custódia de Piraquara (CPC). A prisão deles é temporária e tem duração de cinco dias.

Ligação

Segundo informação da própria Secretaria de Segurança do Paraná, a Operação Pane Seca foi antecipada devido ao assassinato de Frabrizzio e à possibilidade de fuga de um dos chefes do esquema. Horas antes do assassinato, o fiscal havia se encontrado com uma equipe do programa Fantástico, que produzia uma reportagem investigativa sobre fraudes em combustíveis. A matéria deverá ir ao ar na noite deste domingo (2).

Sindicato apoia medidas

Em nota enviada à imprensa, o Sindicato dos Revendedores de Combustíveis e Lojas de Conveniências do Estado do Paraná, Sindicombustíveis-PR, afirma que apoia ações de combate a fraudes no setor e entende que é importante ampliar as apurações para outras regiões do estado.

Segundo a entidade, a adulteração de bombas de combustíveis é um crime grave que lesa consumidores, compromete a arrecadação de impostos e prejudica empresários do setor que trabalham dentro da lei. “O Sindicombustíveis-PR é uma das entidades que combate esta prática com especial empenho. Neste sentido, o sindicato tem participado de encontros interestaduais focados em soluções para o problema e também vem reforçando junto aos órgãos fiscalizadores a importância de operações específicas contra os fraudadores”, diz o sindicato, no comunicado.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.