i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
curitiba

Prefeitura abre processo para apurar prisão de advogado negro

Renato Almeida Freitas Júnior foi detido na quinta-feira (25), por desacato e alega ter sido agredido e ter sofrido injúrias raciais

  • PorFelippe Aníbal
  • 26/08/2016 13:11
Jovem foi solto na quinta-feira (25), depois de ter passado três horas detido | Daniel Castellano/Gazeta do Povo
Jovem foi solto na quinta-feira (25), depois de ter passado três horas detido| Foto: Daniel Castellano/Gazeta do Povo

A prefeitura de Curitiba anunciou, na manhã desta sexta-feira (26), que vai apurar as circunstâncias da prisão do advogado Renato Almeida Freitas Júnior, que foi detido por agentes da Guarda Municipal (GM), acusado de desacato à autoridade e resistência à prisão. Após ser solto, o jovem denunciou que sofreu agressões e injúrias raciais. Ele também é candidato a vereador pelo PSol.

Segundo nota emitida pela prefeitura, a Secretaria Municipal da Defesa Social – a que está vinculada a GM – determinou a abertura de um procedimento administrativo, que será conduzido por uma comissão de apuração. O Sindicato da GM de Curitiba e a comissão de direitos humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) devem acompanhar o processo. Freitas Junior e os guardas municipais que efetuaram a prisão serão ouvidos ao longo da apuração.

Ato em apoio a advogado preso pela Guarda Municipal reúne cem pessoas em Curitiba

Leia a matéria completa

Também por meio de nota, a vice-prefeita Mirian Gonçalves disse que os relatos “são graves” e devem ser “apurados com urgência e lisura”. Na avaliação dela, as alegações do jovem advogado podem ser comprovadas por meio da análise de câmeras de segurança e do registro da prisão. “Não se pode admitir que servidores, cujo dever é proteger bens, serviços e instalações municipais ultrapassem qualquer limite que possa sequer ofender a população”, afirmou, por meio da nota.

Em entrevista à Gazeta do Povo, Freitas Júnior disse que vai comparecer em todas as audiências para as quais for convocado e que vai requisitar imagens de câmeras de segurança do Largo da Ordem, que podem ter flagrado a prisão. O advogado foi detido por volta das 15 horas de quinta-feira (25), na Rua do Rosário, enquanto ouvia rap em seu carro – um Hyundai i30 – que estava estacionado.

Apesar de estar mais tranquilo em relação ao acontecimento, Freitas Júnior disse que foi “humilhado” pelos guardas municipais por motivos raciais. “Eu tenho o perfil de ser uma pessoa negra e pobre. Todos esses elementos complexos geram uma visão estereotipada, em que eles pensam que uma pessoa nessas condições – negra e pobre – não pode ser advogado e ter um carro”, avaliou. “É algo que tira a humanidade da gente, porque, por uma fração de segundo, a gente entra no jogo deles e pensa que é inferior”, completou.

O advogado diz ter levado um soco antes de receber voz de prisão. Ele também diz que foi colocado no chão e que um dos guardas pisou em seu rosto, dizendo que preferia estar “pisando em merda”. O jovem também relatou ter sido despido e colocado nu em uma cela do 3º Distrito Policial (DP), o que configuraria excessos.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.