Os moradores de rua de São Paulo também aderiram ao bordão "Imagina na Copa". A preocupação dos desabrigados, porém, nada tem a ver com a forma como se desenrolará o Mundial no Brasil. O medo deles é de serem varridos dos cartões-postais da cidade às vésperas da chegada dos turistas.

"Ouvi dizer que fizeram dois galpões em Sorocaba e vão deixar a gente preso por dois meses lá, até o fim dos jogos", diz José Dias, de 40 anos, atualmente morando na tenda do Parque Dom Pedro II. Para Robson Ferreira, de 22 anos, a administração municipal só os encaminhou para a tenda do Parque Dom Pedro II para tirá-los da vista dos turistas. "Quando acabar a Copa, vão mandar a gente sair daqui e voltar para a rua", acredita Ferreira, que trabalha na região da Sé, fazendo malabarismo no semáforo. Enquanto deixarem, ele vai ficando no lugar, apesar da precariedade. "Vou erguer um barraco para mim."

Para o coordenador do Movimento Nacional dos Moradores de Rua, Anderson Lopes Miranda, a prefeitura precisa melhorar a oferta de moradia, antes de retirar a população da rua. "A gente tentou manter um diálogo com a gestão e essa política de novo não está sendo cumprida. Não podemos mais ter albergue com 600 pessoas. Parece campo de concentração", afirma.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]