Uma testemunha que disse ter ouvido gritos antes do menino Gustavo Souza Storto, 5, cair do 26.º andar de um prédio em Taboão da Serra (Grande SP) voltou atrás em seu depoimento. Agora, a testemunha, cujo nome não foi informado, afirma agora que escutou apenas uma criança chorando.

A mudança no depoimento foi confirmada pela Secretaria Estadual de Segurança Pública. Os gritos ouvidos podem ter sido decorrentes da partida de futebol entre Corinthians e Internacional, que aconteceu na mesma noite.

Outra testemunha disse para jornalistas que era comum ouvir discussões vindas do apartamento, mas que não escutou nada nesta quarta.

Gustavo caiu do 26.º de um prédio em Taboão da Serra (Grande SP) por volta da 0h desta quinta-feira (17) e morreu no local.

A mãe da criança, a farmacêutica Juliana Souza Storto, 33, disse à polícia que tinha deixado o menino dormindo sozinho e que saiu para buscar o namorado, que não é o pai da vítima, próximo à estação ferroviária do Morumbi.

Para provar que não estavam no apartamento do momento da queda da criança, o casal mostrou aos policiais um aparelho celular com as mensagens trocadas em um aplicativo. Na conversa, Juliana combinava o local onde encontraria o namorado. Os aparelhos foram apreendidos para perícia.

O casal prestou depoimento no 1.º Distrito Policial de Taboão da Serra e foi liberado. Eles deixaram a delegacia de carro evitando a imprensa.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]