Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Passageiros  continuam pulando catraca no terminal  de ônibus em Araucária. | Aniele Nascimento/Gazeta do Povo
Passageiros continuam pulando catraca no terminal de ônibus em Araucária.| Foto: Aniele Nascimento/Gazeta do Povo

Usuários do transporte coletivo da Região Metropolitana de Curitiba foram, mais uma vez, afetados em um novo capítulo da briga entre a Comec, órgão do governo do Paraná, e a Urbs, ligada à prefeitura da capital. Nesta quarta-feira (15), primeiro dia de funcionamento da linha de ônibus entre Araucária e o terminal da Cidade Industrial de Curitiba (CIC) – criada nesta semana para amenizar os problemas gerados a partir da desintegração financeira do sistema de transporte – os usuários foram surpreendidos ao descobrirem que não poderiam descer dentro do terminal, sendo obrigados a pagar uma nova passagem caso quisessem embarcar em outros ônibus.

A confusão teria ocorrido porque a linha foi criada pela Comec, mas o terminal na CIC, onde os ônibus deixariam os passageiros, é administrado pela Urbs. Segundo a assessoria de imprensa da Comec, o órgão estadual informou à Urbs sobre a criação da linha de ônibus. Já a prefeitura de Curitiba sustenta que foi surpreendida por um “ato unilateral” da Comec e que o estado “será responsabilizado por qualquer custo adicional gerado ao sistema de transporte público de Curitiba”. A linha funcionou apenas nas primeiras horas do dia e já foi suspensa pela Comec. Por causa da confusão, os passageiros que desceram desta linha não chegaram a pagar mais uma passagem para entrar no terminal da CIC.

Transtornados, passageiros consideram outros meios de transporte

Cerca de 12,5 mil pessoas fazem o trajeto entre a cidade e Curitiba por dia, de acordo com a Câmara Municipal de Araucária

Leia a matéria completa

Em nota divulgada na manhã desta quarta-feira (15), a Urbs afirmou que “não foi consultada sobre a possibilidade de uso dos terminais urbanos” e “apenas comunicada com menos de 24 horas de antecedência”. “Desta forma, a Comec – responsável pelo gerenciamento do transporte metropolitano – interfere em um sistema que não é de sua responsabilidade, criando constrangimento para usuários e trabalhadores”, diz trecho de nota.

Novela

Desde meados de fevereiro, quando houve a desintegração financeira do sistema de transporte, moradores de Araucária, cidade da Região Metropolitana de Curitiba, reclamam do aumento do custo do trajeto até a capital. A mudança chegou a gerar um efeito “pula catraca” no Terminal Angélica, um dos dois terminais de Araucária. Usuários de todas as idades passaram a burlar a segurança do local para evitar o pagamento de mais uma passagem de ônibus.

Na segunda-feira (13), um novo problema gerado pela desintegração do transporte motivou um “quebra-quebra” no terminal Angélica. A confusão começou quando usuários descobriram que não poderiam mais utilizar o cartão da Urbs nas catracas. Usuários jogaram pedras em ônibus e tentaram derrubar um dos veículos. O anúncio da nova linha de ônibus foi feito pela Comec logo depois deste episódio.

“Ao tomar conhecimento, pela imprensa, da intenção da Comec de criar uma linha vinda de Araucária com ponto final no Terminal CIC, a Urbs encaminhou e-mail alertando para a falta de condições técnicas do terminal para receber uma nova linha. No comunicado, a Urbs alertou que este terminal não tem condições para estacionamento seguro dos ônibus e escoamento dos usuários”, continua a Urbs na nota.

Já a Comec, também em nota, informou que a decisão de suspender a integração da linha é da Urbs e que “estranha a atitude da Urbs e da prefeitura de Curitiba de impedir os passageiros de descer no Terminal CIC, uma vez que a nova linha Araucária-CIC deveria ocupar o espaço já utilizado para o transporte metropolitano, não havendo acréscimo de demanda, mas sim uma transferência da integração”.

Negociações

No fim da manhã desta quarta-feira, o diretor da Comec, Omar Akel, admitiu à reportagem da Gazeta do Povo que não houve uma autorização expressa da Urbs para a entrada dos ônibus de Araucária no terminal da CIC. “Mas nós tivemos que pesar o atendimento à população, que já estava informada. Era impossível não estar com a linha operando hoje”, afirma.

As negociações agora estão se dando entre Urbs e prefeitura de Araucária. De acordo com Akel, a expectativa é que o município consiga acordar uma integração direta, sem a necessidade de intermediação da Comec. Essa solução, segundo Akel, é para sair nos próximos dias. Ele ainda afirma que, caso o município de Araucária e a Urbs não cheguem a um entendimento, a Comec estuda outras alternativas para solucionar o problema dos moradores da cidade que precisam de ônibus para chegar a Curitiba.

“Preferimos não divulgar agora quais são as alternativas para não dificultar as negociações da prefeitura de Araucária”, diz. Ele garantiu, porém, que até sexta-feira deverá ocorrer uma mudança nas linhas que fazem a ligação entre Araucária e Curitiba para resolver o problema dos usuários no município da região metropolitana.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]