i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Notas Políticas

A espada do Senhor

  • PorRicardo Marques de Medeiros – notaspoliticas@gazetadopovo.com.br - Colaboraram Kátia Chagas e Luiz Carlos da Cruz
  • 11/02/2010 21:15
 |
| Foto:

O vice-governador Orlando Pessuti e o governador Roberto Requião apelaram para o lado religioso quando falavam das obras do governo durante visita ao Show Rural Coopavel , em Cascavel, na manhã de ontem. Pessuti iniciou o discurso citando passagem do Evangelho de São João. "Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará", disse parafraseando Jesus Cristo ao falar das ações do governo. Requião, que discursou logo em seguida, emendou: "Gostei do discurso forte do Pessu­­tão. O Pessutão empunhou o microfone como se fosse a espada de um anjo do Senhor dizendo verdades a quem verdades quer ouvir". Logo em seguida, para não perder a oportunidade e a plateia, Requião, em pleno evento do agronegócio, descambou a criticar as multinacionais e a produção de alimentos transgênicos.

Aliás...

O evento rural em Cascavel, um dos maiores no âmbito tecnológico do setor agropecuário do Brasil, se transformou em vitrine política para dezenas de pré-candidatos em ano eleitoral. Além de Requião e Orlando Pessuti, passaram por lá ontem o senador Flavio Arns e os deputados federais Alfredo Kaefer e Ratinho Jr.

À disposição

O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, disse que a decisão de abrir mão de disputar uma vaga na Câmara dos Deputados não é um indicativo de que permanecerá no governo em uma eventual vitória de Dilma Rousseff. Ele enfatizou que tem compromisso com o presidente Lula até o dia 31 de dezembro, mas deixou claro que se o PT vencer as eleições presidenciais tem a pretensão de continuar no governo, caso seja chamado para compor a nova equipe. Ele afirmou que se tiver algo em que possa ajudar estará à disposição.

Foliões

A menos de cinco meses do início da campanha eleitoral, os principais pré-candidatos ao Planalto vão transformar o carnaval deste ano em seu primeiro teste de popularidade. A ordem é intensificar a agenda de folia e garantir exposição nas maiores e mais tradicionais festas do país. Dilma Rousseff, Ciro Gomes e José Serra devem passar pelo Recife, Salvador e o Rio de Janeiro.

Ameaças

Os vereadores que investigam o prefeito de Sarandi, Milton Martini (PP), estão recebendo ameaças de morte. Na quarta-feira, Luiz Carlos Aguiar (PPS) recebeu uma ligação anônima, orientando-o a "pensar no que está fazendo, pois tem uma família linda". O prefeito é acusa­­­do de comprar, sem licitação, produtos agropecuários na loja do ex-chefe de gabinete dele.

Alvaro e o "enigma"

Na disputa pela indicação do PSDB à disputa do governo do estado, o senador Alvaro Dias declarou que a decisão deve sair nos próximos dias porque "tem muita gente com pressa, com o pai na forca". Dias reafirmou ontem que tenta ser indicado não por vaidade ou méritos pessoais, mas pelas cirscunstâncias que favorecem sua candidatura para somar mais apoios para o projeto nacional. Segundo o tucano, agora não há mais o que conversar com a direção nacional. "As cartas foram colocadas na mesa, eles têm todas as informações e não me movimento mais. Vou aguardar a decisão e a solução desse enigma", assegurou.

Pinga-fogo

"Reconhecemos que nem sempre é possível a reprodução nos estados da aliança nacional. Onde não for possível, podemos acertar a negociação com mais de um palanque. Mas, em última instância, essa resolução dará poderes para o diretório nacional deliberar sobre questões impeditivas para a realização de alianças nos estados."

José Eduardo Dutra, presidente eleito do PT, explicando a tática do partido para intervir em diretórios estaduais que decidam por alianças que possam prejudicar a candidatura de Dilma Rousseff.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.