i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
lava jato

Advogado de executivos diz que presos deveriam ser soltos, não transferidos

Roberto Telhada defende os executivos da OAS que serão transferidos ao Complexo Médico Penal, em Pinhais, nesta terça-feira (24)

  • PorKelli Kadanus
  • 23/03/2015 19:07
“Há um excesso de pessoas presas na carceragem, o que compromete a segurança. Já que as prisões são absolutamente ilegais, todos deveriam ser soltos e não transferidos para um lugar pior”, disse o advogado | Marcelo Andrade/Gazeta do Povo
“Há um excesso de pessoas presas na carceragem, o que compromete a segurança. Já que as prisões são absolutamente ilegais, todos deveriam ser soltos e não transferidos para um lugar pior”, disse o advogado| Foto: Marcelo Andrade/Gazeta do Povo

O advogado dos executivos da OAS, Roberto Telhada, afirmou que os presos da Lava Jato deveriam ser soltos, e não transferidos. Ele defende quatro executivos da empresa que serão transferidos nesta terça-feira (24) da carceragem da Polícia Federal em Curitiba para o Complexo Médico Penal (CMP), em Pinhais: o presidente José Aldemário Pinheiro Filho, o diretor Agenor Franklin de Moraes, o vice-presidente do Conselho Mateus Continho de Sá Oliveira e o funcionário José Ricardo Breghirolli.

“Há um excesso de pessoas presas na carceragem, o que compromete a segurança. Já que as prisões são absolutamente ilegais, todos deveriam ser soltos e não transferidos para um lugar pior”, disse o advogado. “O que nós sabemos é que chegaram outras pessoas na carceragem da Polícia Federal e a PF fez uma revista e identificou que havia um número excessivo de pessoas”, disse Telhada sobre a transferência.

A PF pediu a transferência de 12 presos da Lava Jato para o CMP na última sexta-feira (20). O pedido foi acatado nesta segunda-feira (23) pelo juiz federal Sérgio Moro.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.