i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
crise política

Aécio rebate Dilma: ‘golpe’ é constranger a ação das instituições

Em nota, presidente do PSDB critica declarações de Dilma em entrevista na qual ela diz que não cairá

  • PorEstadão Conteúdo
  • 07/07/2015 16:53
“Tudo que contraria o PT, e os interesses do PT, é golpe”, afirmou o presidente do PSDB. | /
“Tudo que contraria o PT, e os interesses do PT, é golpe”, afirmou o presidente do PSDB.| Foto: /

O presidente nacional do PSDB, o senador Aécio Neves (MG), disse nesta terça-feira (07) que o discurso do golpe assumido pela presidente Dilma Rousseff e outros petistas frente à ofensiva da oposição é uma estratégia para “constranger” a ação das instituições e da imprensa.

“O discurso golpista do PT tem claramente o objetivo de constranger e inibir instituições legítimas, que cumprem plenamente seu papel”, afirmou. Segundo ele, o PT classifica como “golpe” as denúncias que estão sendo apuradas pelo Tribunal de Contas da União (TCU) e pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), assim como as investigações em curso pela Polícia Federal e o Ministério Público.

“Tudo que contraria o PT, e os interesses do PT, é golpe”, afirmou. Principal nome da oposição, Aécio disse que os partidos “continuarão atentos” aos desdobramentos dos casos para garantir “autonomia e independência das instituições brasileiras”.

Dilma afirmou a aliados que vai defender “com unhas e dentes” o seu mandato e classificou como “golpista” a ofensiva da oposição para que ela saia do poder.

Em entrevista publicada nesta terça, pelo jornal Folha de S.Paulo, Dilma lembrou a época que foi torturada na ditadura e afirmou que não iria “cair”. “Dizer que é golpe em vez de responder as acusações é desmerecer as instituições que existem para defender a sociedade”, afirmou o senador Agripino Maia (DEM).

A oposição mira em pelo menos três caminhos para Dilma do Palácio do Planalto. A principal aposta é cassar a chapa dela e do seu vice-presidente Michel Temer no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no processo que investiga a suspeita de financiamento ilegal da dupla em razão da Operação Lava Jato.

O segundo cenário é via Tribunal de Contas da União (TCU), que pode reprovar as contas do governo de 2014 de Dilma, o que pode culminar num processo de impeachment.

O grupo de opositores também apresentou uma representação na Procuradoria-Geral da República (PGR) em que pede que a presidente explique as declarações do dono da UTC, Ricardo Pessoa.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.