i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
votação

Alep aprova reajuste salarial maior para servidores do Judiciário e do Ministério Público

Primeira votação dos projetos ocorreram nesta terça-feira (7). Servidores do Judiciário devem ganhar 8,17%; na Alep reajuste será menor

  • PorLuis Lomba, especial para a Gazeta do Povo
  • 07/07/2015 19:27
O placar da votação foi 41 a favor e sete contra. Os textos passaram precisam ser votados novamente, antes de serem sancionados | Pedro de Oliveira/Alep
O placar da votação foi 41 a favor e sete contra. Os textos passaram precisam ser votados novamente, antes de serem sancionados| Foto: Pedro de Oliveira/Alep

O plenário da Assembleia Legislativa do Paraná aprovou nesta terça-feira (07), em primeiro turno, os projetos de lei que fixam em 8,17% o índice de reajuste dos salários de servidores públicos do Tribunal de Justiça, da Defensoria Pública, do Tribunal de Contas do Estado, do Ministério Público do Paraná e do Poder Legislativo. Para os servidores da Assembleia, os deputados aprovaram uma correção salarial menor, de apenas 3,45%, idêntico ao dos servidores do Executivo, inclusive professores. A diferença entre os reajustes foi criticada pela oposição, que votou contra o reajuste menor para os servidores da Assembleia.

O placar da votação foi 41 a favor e sete contra. Os textos passaram precisam ser votados novamente, antes de serem sancionados.

Antes da votação, o deputado Péricles de Mello (PT) cobrou “coragem” dos colegas para votar contra o Executivo. “Por que a coragem dos deputados de restringir o reajuste de nossos servidores a 3,45% não é a mesma para limitar o reajuste dos servidores do Tribunal de Justiça?”, questionou. “Temos recursos para dar os 8,17%. Aprovar os 3,45% de reajuste é uma demonstração de fraqueza”, completou.

O líder do governo, deputado Luiz Cláudio Romanelli, encaminhou a votação defendendo que os servidores da Assembleia devem ter o mesmo reajuste dos funcionários do Executivo. “A presidência da Assembleia optou por seguir o que foi feito pelo governo do Paraná, com um reajuste de 3,45%. Por outro lado, temos que respeitar os projetos que vieram do Tribunal de Justiça, da Defensoria e do Ministério Público. Essas instituições têm autonomia administrativa e seus planos de cargos, com progressões e quinquênios, que devem ser cumpridos”, disse.

Segundo o presidente da Alep, Ademar Traiano, os servidores da Assembleia concordaram com um reajuste salarial menor que o do Judiciário, Tribunal de Contas, Defensoria e Ministério Público. “Numa reunião com 134 servidores apenas quatro foram contra”, revelou.

Em junho, os servidores efetivos tiveram progressões nas carreiras, o que elevou os salários em até 20%. Segundo o deputado Tadeu Veneri (PT), a efetivação da progressão foi suspensa por 90 dias, para pressionar os servidores efetivos a aceitarem um reajuste menor, que vale também para os comissionados.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.