i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
procuradoria

Área de informática da Câmara diz ter disponibilizado dados de todos à PGR

    • brasília
    • Folhapress Web
    • 20/08/2015 12:26

    A diretoria de informática da Câmara dos Deputados afirmou, em nota, ter disponibilizado acesso a todos os usuários da Casa na diligência feita pela Procuradoria-Geral da República (PGR) em maio.

    O documento é uma resposta a questionamentos feitos nesta quarta-feira (19) pelo presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), após o procurador-geral Rodrigo Janot classificar de “levianas” as declarações de que a diligência permitiu o acesso a informações de todos os 513 deputados.

    “Durante a diligência do Ministério Público Federal, autorizada pelo Supremo Tribunal Federal, foram restaurados e disponibilizados, a partir de cópia de segurança, dados de login (data, hora, máquina) de todos os usuários -deputados, servidores, secretários parlamentares, CNEs, terceirizados e estagiários- da rede de computados da Câmara dos Deputados”, diz a nota.

    À espera da denúncia no STF, Cunha aponta acordo para enfraquecê-lo

    Segundo aliados do presidente da Câmara, texto questiona ausência de Renan nas denúncias a serem feitas no Supremo

    Leia a matéria completa

    O texto destaca que, apesar de ter sido disponibilizado acesso a todos os usuários, “foi realizada uma pesquisa em todos esses dados, para extrair somente os registros dos deputados Eduardo Cunha e Solange Almeida [PMDB-RJ]”.

    Cunha reiterou, nesta quarta, ter sido informado por técnicos da Casa que todos os dados foram disponibilizados ao MP. Ao responder ao ofício de Janot, o peemedebista se disse “tranquilo” sobre o caso e completou: “Se ele [Janot] desprezou ou devolveu os dados, ou apenas utilizou os dados que lhe interessava, não significa que, quando fizeram a busca e apreensão aqui, não coletaram todos os dados”.

    A nota da diretoria de informática, assinada pelo chefe do setor, Guilherme Brügger D’Amato, traz também detalhes técnicos, que destacam o formato no qual os dados foram gravados.

    O documento finaliza: “O resultado do processamento, que continha apenas os dados solicitados, foi gravado em mídia (CD), observando o devido sigilo. Foram feitas três cópias da mídia, tendo duas sido entregues à equipe de diligência e a outra anexada ao processo administrativo instaurado na Câmara dos Deputados”.

    Em maio, a PGR realizou diligência no sistema de informática da Câmara, depois que a Folha revelou que o nome de Cunha aparecia como autor dos arquivos digitais de dois requerimentos da então deputada Solange Almeida (PMDB-RJ). Segundo delatores, os requerimentos serviram para achacar o representante de uma empresa que devia o pagamento de propina.

    Janot disse no ofício que a busca se limitou a informações técnicas a respeito dos usuários digitais de Cunha e de Solange Almeida. O procurador anexou documentos com o resultado da busca na Câmara.

    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

      Receba Nossas Notícias

      Receba nossas newsletters

      Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

      Receba nossas notícias no celular

      WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

      Comentários [ 0 ]

      O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.