Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

Brasília - O governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda (DEM), foi acusado ontem de ter forjado, na última sexta-feira, uma licitação para a compra de 120 mil panetones. O dia em que o edital foi publicado é o mesmo em que a Polícia Federal deflagrou a Operação Caixa de Pandora, que investiga um esquema de corrupção no governo de Brasília.

A montagem da licitação, segundo reportagem do jornal O Estado de S. Paulo, serviria para justificar por que Arruda recebeu R$ 50 mil, conforme mostrou um vídeo em poder da PF. A suspeita é de que o dinheiro era de propina, mas Arruda afirmou que a verba era uma doação de empresários que seria usada para a compra de panetones e brinquedos para serem distribuídos no Natal a crianças carentes.

O edital de licitação previa a compra dos panetones até o próximo dia 10. O documento diz explicitamente que os panetones são para "distribuir às famílias de baixa renda". Porém, o vídeo é de 2006 – antes, portanto, de Arruda tomar posse como governador do DF.

Para tentar documentar a sua defesa, o próprio Arruda disse, em entrevista ao Correio Bra­­­ziliense publicada na quinta-feira, que havia sido alertado para "os problemas (vídeos)" criados por Durval Barbosa (ex-secretário de Relações Institu­­­cionais do DF e denunciador do esquema de propina). Por isso, teria feito "um registro oficial", no Tribunal Regional Eleitoral do DF de todas as doações recebidas nos últimos anos a título de contribuição para as "campanhas sociais". Esses recibos estão sendo periciados pela PF – há indícios de que tenham sido forjados para justificar a suposta propina.

O jornal O Estado de S. Paulo ainda informou que as investigações da PF revelam que o governador Arruda deu esses passos preventivos – dos recibos e do edital dos 120 mil panetones – porque já sabia da proximidade da Operação Caixa de Pandora.

Cancelamento

Após a publicação da reportagem, o governo do Distrito Fe­­­deral cancelou o pregão destinado à com­­­pra dos panetones. Ape­­­sar disso, a Secretaria de De­­­senvolvi­­­mento Social do DF ne­­­gou que o lançamento do edital tenha relação com a operação Caixa de Pandora.

Segundo a secretaria, o mesmo número de panetones foi adquirido no ano passado para o programa social "Vida Melhor’’, que tem 120 mil famílias beneficiadas. Em 2008, 120 mil panetones foram comprados por R$ 1,90 a unidade, totalizando R$ 582 mil. Na ocasião, o edital foi lançado em 15 de dezembro. De acordo com a secretaria, os panetones também teriam sido comprados em 2006.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]