Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
 | Pedro Oliveira/Alep
| Foto: Pedro Oliveira/Alep

Richa mantém PSC na coleira. Ameaça esvaziar caneta de Ratinho e secar as verbas da emissora do Ratão. E agora? Vão se submeter à chantagem?

Requião Filho (PMDB), deputado estadual, sobre a relação do PSC de Ratinho Jr., secretário estadual do Desenvolvimento Urbano, com o governador Beto Richa (PSDB).

Talvez tenha sido o efeito da imagem dos parlamentares cercados pela polícia e entrando na Assembleia dentro de um ônibus da tropa de choque. O fato é que os deputados, em março, decidiram que era hora de realmente comparecer ao plenário – talvez na intenção de melhorarem sua imagem. No total, durante o mês, foram registradas apenas 29 ausências em plenário, o que significa um índice de presença superior a 96% nas 14 sessões realizadas. Dessas ausências, 23 foram consideradas justificadas pelo Legislativo. Com isso, só seis faltas significarão desconto nos salários. As faltas sem justificativa constam nos nomes de Gilson de Souza (PSC), Maria Victoria (PP), Mauro Moraes (PSDB) e Luiz Carlos Martins (PSD, foto). Gilson e Maria Victoria tiveram duas faltas cada um.

Mil e duas noites

Pela segunda vez em quatro meses, o Palácio Iguaçu foi palco de um “jantar árabe” nesta semana. Quem organiza os eventos é o deputado estadual Hussein Bakri (PSC), que traz seu pessoal de União da Vitória, incluindo parentes e amigos, para fazer esfirras, tabules e quibes. Os encontros servem para aproximar os deputados do governador Beto Richa (PSDB) e dos secretários de estado.

O melhor está por vir

Desta vez, o encontro serviu, entre outras coisas, para que o governador falasse aos deputados, mais uma vez, que “o melhor está por vir”. Em sua breve apresentação, Richa disse que o momento delicado das finanças é passageiro e que, nos três anos seguintes do novo mandato, fará mais obras do que nos cinco anos iniciais de seu governo.

PSDB insatisfeito

A única bancada que não compareceu em peso ao evento – excetuada, obviamente, a oposição – foi a do PSDB. Curiosamente, o partido do próprio governador estaria insatisfeito. Dos sete deputados, só o presidente da Assembleia, Ademar Traiano, e a Cantora Mara Lima foram ao jantar. Os deputados acham que outros partidos estariam tendo mais atenção do governo do que os tucanos.

Fica onde está

O Tribunal de Justiça do Paraná determinou que a ação criminal que tramita contra Ezequias Moreira Rodrigues continuará em segundo grau. O Ministério Público tinha entrado com um recurso para contestar a decisão do TJ de levar o caso para o segundo grau. Ezequias é réu de um processo penal devido ao famoso caso da “sogra fantasma”. Sua sogra, Verônica Durau, foi funcionária da Assembleia e recebia salário sem trabalhar. No civil, Ezequias já devolveu mais de R$ 500 mil recebidos ilegalmente.

Secretário especial

No criminal, quando o caso estava à beira de ser julgado, o governador Beto Richa (PSDB) deu a Ezequias um cargo de “secretário especial” na até então inexistente Secretaria Especial de Cerimonial e Relações Internacionais. Com isso, Ezequias pôde entrar com um pedido para que o caso fosse ao Tribunal de Justiça, devido ao foro especial.

Maratona

O julgamento para saber se o caso subiria ou não levou quase um ano. Agora, o recurso tomou mais quatro meses. No total, desde a posse de Ezequias como secretário, passaram-se 21 meses, e ainda não há decisão sobre a ação. A decisão contra o recurso do MP coube ao Órgão Especial. O argumento do Ministério Público de que secretários especiais não deveriam ter foro privilegiado não prosperou.

Colaboraram: Carlos Eduardo Vicelli e Rogerio Waldrigues Galindo.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]