Dois imóveis, em Curitiba, avaliados em R$ 1,425 milhão pertencentes à líder da quadrilha fraudadora da Previdência Social, Jorgina de Freitas serão leiloados pela Advocacia Geral da União (AGU) no dia 17 de janeiro. Os apartamentos estão localizados no bairro do Bigorrilho e foram avaliados pelo órgão em R$ 679 mil e R$ 746 mil.

De acordo com a AGU, o leilão ocorrerá no Rio de Janeiro e aceitará tanto lances presenciais quanto pela internet. Por meio de nota, o órgão afirmou que este será o primeiro leilão feito pela Procuradoria Regional Federal da 2.ª Região que aceitará ofertas online. A AGU informou que o leilão foi aprovado pelo Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ).

Entenda o caso

O esquema envolvendo Jorgina foi descoberto em março de 1991, quando houve a divulgação de uma lista de beneficiários de indenizações milionárias obtidas por fraudes aplicadas por advogados. A criminosa e o contador judicial Carlos Alberto Mello dos Santos foram condenados a devolver ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) mais de R$ 200 milhões referentes ao pagamento de ação acidentária fraudulenta.

A fraude consistia em desviar mais de 50% de toda a arrecadação do INSS à época e repassá-la a um segurado por meio de um "acordo administrativo". Condenada a 14 anos de prisão em 1992 pelo Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, Jorgina ficou foragida até 1997, quando foi encontrada na Costa Rica e extraditada no ano seguinte para o Brasil. Em junho de 2010, uma sentença declarou extinta a pena privativa de liberdade de Jorgina pelo seu integral cumprimento e ela conseguiu a liberdade.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]