Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

PUBLICIDADE
  1. Home
  2. Vida Pública
  3. Curitibanos aprovam início de Richa e Dilma

Análise

Curitibanos aprovam início de Richa e Dilma

Mas eleitores não sabem explicar por que avaliam positivamente as primeiras duas semanas dos novos governos

  • Sandro Moser
Veja como os curitibanos avaliam o atual desempenho de Dilma e Richa |
Veja como os curitibanos avaliam o atual desempenho de Dilma e Richa
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

As duas primeiras semanas das administrações do governador Beto Richa (PSDB) e da presidente Dilma Rousseff (PT) foram avaliadas positivamente pelos curitibanos. O índice de aprovação do início do mandato de Richa chega a 64% na capital do estado, enquanto Dilma, que não venceu a eleição na cidade, alcança 54%.

A continuidade da gestão Lula no caso de Dilma e a imagem de bom administrador de Richa, herdada de seu mandato da prefeitura da capital do estado, são destacados como aspectos positivos do início das duas gestões. A formação da equipe com pessoas pouco confiáveis e reputação política suspeita são os aspectos negativos de início de governo de ambos. É o que aponta o levantamento feito pelo Instituto Paraná Pesquisas com exclusividade para a Gazeta do Povo (veja mais no gráfico abaixo).

Os cidadãos curitibanos, entretanto, não souberam precisar porque a avaliação do começo das administrações é tão positiva. Na entrevista espontânea – em que não são apresentadas alternativas – 62% dos entrevistados não souberam responder quais são os principais aspectos positivos da gestão de Richa. Entre os que se manifestaram, cerca de 5 % disseram que ele simplesmente está “administrando bem”. Em seguida, os curitibanos destacaram os investimentos nas áreas da saúde (2,75%) e educação (2,16%). As duas áreas têm sido destacadas como prioritárias na maioria das manifestações públicas do governador.

Outro setor colocado como prioritário pelo tucano, a segurança pública foi sexta colocada, com 1,37% das lembranças. Entre as principais medidas tomadas nos primeiros dias de governo estadual, moratória dos pagamentos, ajuste fiscal e metas de redução de gastos supérfluos e exoneração dos comissionados, apenas a última foi lembrada como um aspecto positivo.

Ecos

Para o professor de Ciência Política Fabrício Tomio, da Universidade Federal do Paraná (UFPR), a avaliação é precoce e ainda traz o eco da disputa eleitoral.“Você nota que os mesmos motivos que levaram o eleitor a votar nos candidatos são destacados como aspectos positivos”, diz.

Para o diretor presidente do Paraná Pesquisas, Murilo Hidalgo, a percepção positiva do curitibano em relação aos dois novos mandatários demonstra que a expectativa sobre ambos é muito boa. “Quanto aos aspectos positivos, dá para perceber que o povo ainda não tomou ciência do que foi feito nos primeiros dias. O que foi mais divulgado pela mídia é mais lembrado nos aspectos negativos”, afirmou.

A composição da equipe de governo com personagens envolvidos em escândalos lidera a lista de itens negativos destacados pelos entrevistados. “Na esfera federal, a presença de personagens como o Antonio Palocci. No Paraná, a apreensão refere-se principalmente à nomeação do Cássio Taniguchi , que traz para o governo uma condenação no STF e a ligação com o governo Lerner, o que foi evitado ao máximo durante a campanha de Beto”, afirma Ricardo Costa de Oliveira, professor de Ciência Política da UFPR.

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE