i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Operação Tubarão

Depoimento de empregada reforça denúncia

  • PorKarlos Kohlbach
  • 26/04/2011 21:15

O depoimento de uma empregada doméstica coloca a chefe do setor de telefonia da As­­­sem­­­bleia Legislativa do Paraná, Silvana Bruel, no centro de uma suposta organização criminosa que cooptava funcionários fantasmas e laranjas, falsificava declarações de Imposto de Ren­­­da e desviava a restituição do imposto.

O documento obtido com exclusividade pela Gazeta do Povo é um termo de declaração que a empregada doméstica Edilia Maria Alves da Silva prestou à Receita Federal, em agosto de 2010 – cinco meses depois da publicação da série Diários Secretos que expôs irregularidades na Assembleia do Paraná.

Edilia declarou nunca ter trabalhado na Assembleia. Mesmo assim, na lista de servidores divulgada em 2009 na gestão do ex-presidente Nelson Justus (DEM), o nome dela consta na relação de funcionários do Legislativo.

Documentos bancários, de posse da reportagem, revelam que Edilia recebeu salários desde 2005, sendo que em junho de 2006 chegou a receber R$ 11,5 mil. Os comprovantes mostram que a empregada doméstica recebeu cerca de R$ 260 mil entre 2005 e 2009.

Conta bancária

Edilia contou no depoimento que sabe da existência de uma conta bancária em nome dela no HSBC. "Quem movimentava [a conta] era Silvana Bruel", afirma a empregada. Edilia disse ainda que foi orientada a não comparecer ao banco que fica na As­­sembleia porque "poderia ter alguma câmera de vigilância". Ela conta ainda que só esteve no banco uma vez em abril do ano passado. Edilia alega no depoimento que sacou dinheiro e entregou para Silvana. Afirmou também que "tomou conhecimento da existência do cartão magnético e senha somente para entregar o salário nesse último mês de abril, e depois disso entregou o cartão e o dinheiro novamente a Silvana".

Sobre as declarações de Im­­posto de Renda e as restituições, a empregada doméstica diz que nunca ficou com o dinheiro restituído. Em um outro trecho do depoimento à Receita, Edilia afirma "que Silvana falou que tinha um rapaz na Assembleia que fazia as declarações e que Silvana pediu para ela dizer que as declarações eram dela".

Silvana Bruel teria conhecido Edilia quando ela era empregada na casa do irmão dela. A proximidade teria permitido que Silvana aliciasse a empregada. Edilia declarou que Silvana a teria colocado como laranja na Assembleia, que recebia R$ 100 por mês e que chegou a assinar cheques em branco.

A PF e o MPF agora investigam se Silvana Bruel ficava com o salário depositado pela Assembleia na conta da empregada doméstica. A Gazeta do Povo procurou Silvana Bruel para falar sobre as acusações, mas ela não foi localizada.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.