Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
 | Marcos Oliveira/Agência Senado
| Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

O relator da indicação de Luiz Fachin ao Supremo Tribunal Federal no Senado, Alvaro Dias (PSDB-PR), saiu em defesa do jurista na sabatina na manhã desta terça-feira, 12, e afirmou que seria “oportunismo eleitoral” rejeitar seu nome. “Seríamos indignos do apreço popular se, de forma oportunista, nos colocássemos contra (Fachin) apenas para alvejar a presidente da República no momento da grave impopularidade que ostenta”, afirmou o tucano, que tem defendido o nome do conterrâneo no Congresso.

“Evidentemente respeito aqueles que, não o conhecendo, procuram ostentar no campo da oposição, procuram questioná-lo, inquiri-lo. Não fosse esse ambiente (político) no País, certamente, não teríamos essa contestação virulenta e desarrazoada”, disse o tucano, chamando de “contorcionismo jurídico” as críticas a Fachin. “Não fosse esse momento dramático da vida nacional o indicado pela presidência seria aclamado nessa reunião”, disse Alvaro Dias.

O senador pediu que a CCJ não coloque o interesse “motivado pela paixão político partidária” à frente do interesse público. Dias leu questões enviadas por internautas em sua página nas redes sociais, sempre defendendo o advogado. O tucano disse, por exemplo, que “em muitos momentos” Fachin esteve contra o PT.

Ao mencionar a suposta proximidade entre o jurista e movimentos sociais, citou que Fachin também foi integrante da Câmara Arbitral da Sociedade Rural Brasileira e federações de indústrias.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]