|
| Foto:

Após denúncia da coligação de Beto Richa (PSDB), o desembargador Prestes Mattar, corregedor regional eleitoral, determinou que funcionários da Secretaria de Estado da Educação se abstenham de enviar mensagens eletrônicas com cunho eleitoral pelo e-mail oficial, sob pena de multa diária de R$ 10 mil. A decisão foi proferida no último sábado, após a reclamação dos tucanos de que um funcionário da secretaria enviou, por meio do e-mail corporativo, convites para carreatas e reuniões a favor do candidato Osmar Dias (PDT). Para evitar confusão, a secretaria encaminhou no início de setembro um comunicado interno aos funcionários reforçando os cuidados a serem tomados.

Aliás...

O coordenador jurídico da coligação de Osmar Dias, Leandro Rosa, diz que condena a prática de uso de e-mail oficial para a divulgação de eventos eleitorais. Segundo ele, o que acontece às vezes é uma atitude isolada. Já o advogado Ivan Bonilha, da campanha de Beto Richa, afirmou que a coligação procura a Justiça com indícios de irregularidades durante a campanha para "corrigir os rumos".

Tiririca

Com seus bordões cheios de humor, Tiririca (PR) ganhou a preferência do eleitorado e lidera as pesquisas de intenção para deputado federal. Sua candidatura, no entanto, corre o risco de ser impugnada caso a Justiça Eleitoral acate a denúncia realizada pelo promotor Maurício Antonio Ribeiro Lopes na quinta-feira. Ele alega que o comediante cometeu fraude ao declarar, em uma entrevista, que seus bens estavam em nome de terceiros. Recordista na arrecadação de verba de campanha em seu partido, Francisco Everardo Oliveira Silva, nome de batismo do humorista, declarou à Justiça Eleitoral não ter bens em seu nome. No entanto, em reportagem da revista Veja, Tiririca disse não ter nada em seu nome por causa de processos trabalhistas e ações judiciais de sua ex-mulher, em trâmite no Ceará.

Direito de resposta

A coligação de Dilma Rousseff (PT) entrou no TSE com quatro representações pedindo direito de resposta a propagandas veiculadas pela coligação do adversário José Serra (PSDB). Três representações pedem direito de responder aos vídeos em que o PSDB relaciona Dilma à ex-ministra Erenice Guerra e às acusações de lobby e tráfico de influência na Casa Civil. A quarta representação diz respeito à atuação da petista à frente da Secretaria da Fazenda de Porto Alegre (RS).

TV Brasil

O PSDB, do candidato José Serra, vai pedir que o Ministério Público Eleitoral investigue o uso de funcionários públicos e equipamentos de tevê oficial do governo para filmar comícios da candidata Dilma Rousseff que tenham a participação de Luiz Inácio Lula da Silva.

Marina

A candidata do PV à Presidência, Marina Silva, disse ontem, em Recife (PE), que a estratégia do governo federal de ressaltar apenas "as coisas positivas" foi responsável pela repetição das acusações de tráfico de influência na administração federal, nos últimos anos.

Roriz

O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, encaminhou ontem um parecer ao STF opinando que a corte deve rejeitar os recursos do candidato ao governo do Distrito Federal Joaquim Roriz, cuja candidatura foi barrada pela Lei da Ficha Limpa. No parecer, Gurgel afirma que Roriz não pode ser candidato porque renunciou ao mandato de senador para escapar de um processo que poderia levar à cassação.

Pinga-fogo

"Vou acabar com a venda de ilusões para o nosso povo."

José Serra, candidato do PSDB à Presidência.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]