i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Internet

Site da campanha de Aécio Neves é hackeado

Página Conversa com Brasileiros, lançada em maio de 2013 pelo PSDB, foi invadida pelo grupo Anonymous

  • PorFolhapress
  • 23/07/2014 13:23

Um site da campanha do presidenciável Aécio Neves (PSDB) foi hackeado nesta quarta-feira (23) pelo grupo Anonymous. A página Conversa com Brasileiros, lançada em maio de 2013 pelo PSDB, passou a figurar a mensagem: "Então quer dizer que o senhor Aécio Neves apoia a repressão contra os protestos populares? Ainda bem que políticos como ele jamais governará [sic] este país!".

O título da página faz referência ao Twitter @AnonManifest, que publicou mensagem a respeito em conta na rede social. "Aécio Neves diz que apoia prisões ilegais de ativistas no Rio e tem site de campanha de invadido. http://www.conversacombrasileiros.com.br/ É simples.;)". No último dia 15, foi ao ar um novo site de campanha do senador mineiro.

Prisões

Nesta terça-feira (22), a coligação de Aécio, Muda Brasil, divulgou nota em defesa da Polícia Civil do Rio de Janeiro, que conduziu operação que prendeu 19 ativistas suspeitos de envolvimento em atos de vandalismo durante manifestações desde junho do ano passado. No texto, a campanha de Aécio descreve que "após investigação que durou sete meses, [a polícia] prendeu líderes de manifestações violentas, que atacavam policiais e promoviam a destruição de patrimônio público".

Os tucanos afirmam respeitar e dialogar com os movimentos sociais, mas dizem não "compactuar com o crime e com grupos que usam a violência para tomar à força as ruas, lugar que pertence, com legitimidade, à população e suas reivindicações".

Os tucanos fazem também referência a nota emitida pelo PT no dia 17. No documento, assinado pelo presidente nacional da sigla, Rui Falcão, pelo secretário de Movimentos Populares, Bruno Elias, e pelo coordenador do Setorial de Direitos Humanos, Rodrigo Mondego, o partido afirma que "as prisões representam grave violação de direitos e das liberdades democráticas".

Ao final do texto, a coligação provoca a presidente Dilma Rousseff (PT): "é preciso saber qual a posição da presidente sobre a nota de seu partido: ela também apoia os que usam a violência contra o patrimônio público que pertence aos brasileiros e atacam as instituições ou condena a posição de seu partido?". A coordenação da campanha de Dilma não comentou o assunto até o momento.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.