| Divulgação/Campanha Requião Filho
| Foto: Divulgação/Campanha Requião Filho

Assim como o pai, o senador Roberto Requião (PMDB), o candidato à prefeitura de Curitiba Requião Filho (PMDB) se posicionou contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) nesta segunda-feira (29). O candidato - que é deputado estadual - disse, porém, que é a favor da convocação de novas eleições, já que presidente não tem mais como governar.

“A Dilma não tinha condições de ficar no governo, ela perdeu o controle, o governo envolto em diversos escândalos de corrupção e deram um jeitinho para tirar a Dilma. Só que quando a gente faz algo contra a lei, quando a gente dá um jeitinho, abre-se um precedente muito perigoso”, disse o candidato.

O deputado, que faz oposição ao governador Beto Richa (PSDB) na Assembleia Legislativa, aproveitou o tema para criticar o tucano. “Se houve crime de responsabilidade lá [no governo federal], por que o PSDB aqui do Paraná não me responde sobre o impeachment do Beto Richa, que eu pedi?”, disse. “Acho engraçado que só a corrupção do PT em Brasília incomoda. A corrupção do Beto [Richa], aqui em Curitiba, não está incomodando?”, critica o deputado.

Posicionamento do pai

O senador Roberto Requião se posiciona contra o impeachment desde o início do processo. Apesar de Curitiba ser uma cidade tradicionalmente anti petista, Requião Filho afirma que não teme que a defesa do mandato de Dilma feita pelo pai prejudique sua campanha. “Ele mantém uma posição firme em seu discurso, não muda o discurso nem para ajudar o filho. Isso só tem a me ajudar”, avalia o deputado.

Sabatina

O candidato participou nesta segunda-feira (29) de uma sabatina promovida pelo Centro Acadêmico Hugo Simas (CAHS) da UFPR, em Curitiba, para estudantes de direito da instituição. As principais perguntas giraram em torno de transporte pública, segurança e políticas para moradores de rua.

O candidato também garantiu que, caso eleito, não pretende governar com o sistema de coalizão na Câmara dos Deputados, nem trocar apoio dos vereadores por cargos em comissão na Prefeitura. “No meu entendimento, se isso não é ilegal, é imoral”, disse. “A governabilidade colocou o Ricardo Barros no Ministério da Saúde. A única coisa que ele entende de saúde é pedir dinheiro para plano de saúde financiar campanha”, criticou.

Requião Filho voltou a criticar os principais adversários, o prefeito Gustavo Fruet (PDT) e Rafael Greca (PMN). “Tem candidato que quanto mais velho, mais irresponsável fica”, disse o deputado, em referência a proposta de Greca de construção de um bondinho ligando shoppings de Curitiba. “E tem candidato que tem desculpa para tudo. Ele fala que Curitiba não é para amadores, nunca a culpa é dele”, ironizou Requião Filho, se referindo ao prefeito. “Um fez tudo e o outro pôs tudo para funcionar”, completou Requião Filho, se referindo, respectivamente, a Greca e Fruet.

Apesar das críticas, o deputado disse que sua campanha está focada em propostas, não em ataques aos adversários. Não estou jogando na desconstrução de pessoas”, afirmou.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]