Dilma e Aécio receberam doações de empresas da Lava Jato | Paulo Whitaker/Reuters
Dilma e Aécio receberam doações de empresas da Lava Jato| Foto: Paulo Whitaker/Reuters

Financiamento empresarial tende a acabar

A maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) – seis ao todo – já votou a favor de proibir doações de empresas a candidatos e partidos em ação proposta pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Eles ainda podem mudar o voto até o final do julgamento, mas a tendência é de se confirmar a proibição. A votação foi interrompida após um pedido de vistas do ministro Gilmar Mendes e não tem previsão de ser retomada.

O tema também é objeto de análise no Congresso Nacional. O Senado já aprovou projeto nesse sentido e a proposta aguarda agora votação na Câmara.

Mesmo investigadas pela Polícia Federal (PF) na Operação Lava Jato, oito empreiteiras mantiveram a rotina de doações a partidos e candidatos durante a campanha eleitoral deste ano. Levantamento da Gazeta do Povo, com base na prestação de contas apresentada ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), mostra que as empresas suspeitas de participar do esquema de desvio de dinheiro de obras públicas doaram R$ 277,2 milhões para candidatos de todo o país em 2014. Das 32 legendas existentes no país, 28 receberam recursos dessas construtoras.

INFOGRÁFICO: Veja quanto cada empreiteira doou para os partidos

Entre os beneficiados estão partidos governistas e da oposição e ideologicamente posicionados tanto à esquerda como à direita. Apenas quatro partidos mais à esquerda – PSol, PSTU, PCO e PCB – não receberam recursos das empresas investigadas.

Das doações direcionadas aos diretórios e comitês financeiros dos partidos, o PMDB foi o que mais recebeu: R$ 51,7 milhões. Em seguida vêm o PT, com R$ 48,3 milhões; e o PSDB (R$ 35 milhões) – confira quanto as siglas receberam no infográfico.

Além do PSDB, outros partidos da oposição, que têm se destacado nas críticas ao governo federal pelo escândalo, também foram contemplados pelas empreiteiras. É o caso, por exemplo, do DEM (que recebeu R$ 15,9 milhões), do Solidariedade (R$ 3 milhões) e do PPS (R$ 570 mil).

Já entre as doações diretas aos candidatos, o PT fica disparado em primeiro lugar. Seus candidatos foram beneficiados com R$ 47,3 milhões. PSDB (R$ 3,9 milhões), PSB (R$ 2 milhões); PMDB (R$ 1,3 milhão) e DEM (R$ 1 milhão) completam os cinco partidos que receberam mais de um milhão de reais das empreiteiras investigadas.

A candidata reeleita, Dilma Rousseff (PT), ficou com a maior parcela: R$ 41,8 milhões. Segundo colocado na disputa presidencial, Aécio Neves (PSDB) recebeu R$ 2 milhões. Ambos ainda receberam doações das empreiteiras por meio dos partidos. Aécio, R$ 15,2 milhões; e Dilma, R$ 45,9 milhões.

Maiores doadores

O grupo OAS foi o mais generoso com os candidatos. Sozinho, doou R$ 80 milhões entre doações diretas e direcionadas aos partidos. Queiroz Galvão (R$ 63 milhões), Odebrecht (R$ 54,3 milhões) e UTC Engenharia (R$ 50,8 milhões) também fizeram grandes doações, acima de R$ 50 milhões.

Segundo a ONG Contas Abertas, as oito empreiteiras investigadas receberam, desde 2007, R$ 11,3 bilhões apenas para obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) do governo federal.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]