Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Caro usuário, por favor clique aqui e refaça seu login para aproveitar uma navegação ainda melhor em nosso portal. FECHAR
PUBLICIDADE

Carne Fraca

Ex-ministra: deputados pressionaram para “manter bandido” na fiscalização

Embora não tenha citado os nomes dos parlamentares na tribuna , a senadora já admitiu fora dos microfones que se tratam dos peemedebistas Sérgio Souza e Osmar Serraglio, hoje ministro

  • Brasília
  • Catarina Scortecci, correspondente
  • Atualizado em às
Kátia Abreu, ex-ministra da Agricultura, discursa no Senado | Jane de Araújo/Agência Senado
Kátia Abreu, ex-ministra da Agricultura, discursa no Senado Jane de Araújo/Agência Senado
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

A senadora Kátia Abreu (PMDB-TO), ex-ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento na gestão Dilma Rousseff, disse ter sofrido uma “pressão nunca vista” de dois deputados federais do PMDB do Paraná para manter um “bandido”, um “marginal”, no comando da representação do Ministério da Agricultura no Paraná (Mapa). As declarações foram dadas na tarde desta terça-feira (21) em discurso na tribuna do Senado. A senadora se referia à manutenção de Daniel Gonçalves Filho, preso durante a Operação Carne Fraca, no comando do órgão de controle. Assista ao discurso completo da senadora.

Carne Fraca: confira a cobertura completa

Embora não tenha citado na tribuna os nomes dos parlamentares que a pressionaram, a senadora já admitiu fora dos microfones que se tratam dos peemedebistas Sérgio Souza e Osmar Serraglio, hoje ministro da Justiça e da Segurança Pública. A bancada do PMDB do Paraná foi a responsável pela indicação de Daniel Gonçalves Filho, apontado pela Polícia Federal como o chefe do esquema de corrupção desmantelado sexta-feira (17) pela Carne Fraca , para o comando do órgão.

Presos comandaram representação do Ministério da Agricultura no Paraná por mais de uma década

Hoje preso preventivamente, Daniel foi nomeado para o posto máximo da Superintendência do Mapa no Paraná em julho de 2007, permanecendo no cargo até fevereiro de 2014. Quase um ano e meio depois, voltou para a mesma função, ficando até abril de 2016. Ele foi exonerado por força de um processo administrativo disciplinar aberto contra ele.

Kátia Abreu disse ainda que o senador Roberto Requião (PMDB-PR) deixou nas mãos da bancada de deputados federais do PMDB do Paraná a indicação do comando do braço do Ministério da Agricultura no estado. Ainda segundo a senadora, a então presidente Dilma concordou com o afastamento imediato de Daniel, a despeito da pressão que os peemedebistas faziam a favor de Daniel.

Tanto Serraglio quanto Sérgio Souza já disseram à Gazeta do Povo que “a bancada do PMDB como um todo” é responsável pela indicação de Daniel. Eles afirmam ainda que, por pertencerem à bancada ruralista, possuem uma “proximidade natural” com representantes do Mapa no Paraná.

Post de Katia Abreu confirma pressão de Serraglio

Assista ao discurso completo da senadora na tribuna da Casa

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Vida Pública

PUBLICIDADE